PUBLICIDADE

Universo das startups é inspiração para mudanças no Mercado Eletrônico

28 jun 2018 - 13h36
(atualizado às 16h38)
Ver comentários
Publicidade

Desde 2009, o panorama das grandes empresas vem sendo marcado pela queda na participação de mercado para as pequenas e médias. Diante desse cenário, as enterprises de mais destaque são aquelas que conseguiram ajustar suas realidades ao surgimento de uma nova visão de negócios proposta pelas startups. 

Foto: DINO

Enquanto as indústrias da área da saúde e sustentabilidade começaram a investir em produtos com ingredientes naturais e com menos componentes químicos, de olho no mercado digital, alguns bancos passaram a oferecer contas 100% online isentas de tarifas e com mais benefícios para os clientes. 

Além de novos produtos, companhias de alta performance decidiram investir na transformação da cultura e de metodologias organizacionais. Na área da tecnologia, o Mercado Eletrônico, empresa líder em comércio eletrônico B2B na América Latina, é um exemplo de como é possível adotar o espírito empreendedor das empresas emergentes para reposicionar os negócios e oferecer soluções mais pautadas nas necessidades dos usuários. 

Por se tratar de uma referência no mercado, a empresa pioneira no Brasil e líder em comércio eletrônico na América Latina - que transaciona R$ 80 bilhões em seu marketplace com mais de 1 milhão de fornecedores - pesquisou muito antes de incorporar os elementos mais adequados ao seu novo formato, mais dinâmico e funcional. 

A primeira mudança foi a implantação da cultura ágil, uma alternativa à gestão tradicional dos projetos de desenvolvimento de software, já que a empresa oferece soluções eletrônicas para a área de compras de outras empresas. O processo trouxe mais comunicação, treinamentos, integração entre as áreas, escalabilidade e poder de adaptação frente às adversidades. Depois de passar a entregar as soluções de forma ágil, o desafio foi conseguir escalar a prática para as demais equipes. 

A partir disso, a empresa priorizou o Scrum, uma das diversas metodologias ágeis, e dividiu suas equipes em células multidisciplinares em torno de um mesmo objetivo, o que trouxe mais autonomia a esses grupos e o contato direto com os stakeholders. Com isso, tanto o feedback do produto, quanto o processo de trabalho passou a ser mais rápido. 

Figura primordial nas startups, o profissional de Customer Success é quem acompanha todas as etapas da implementação do produto, antecipa a resolução de possíveis problemas e estabelece o vínculo com o cliente. 

Em um momento em que reclamações se tornaram públicas e conquistar um novo cliente pode chegar a custar sete vezes mais do que manter um antigo, o investimento em experiência de consumo deu novo gás à empresa para proporcionar ao cliente a melhor experiência possível com o produto. "Em alguns casos, tivemos um crescimento de mais de 200% no nível de satisfação dos consumidores", constatou Diogo Morgado, gerente de pós-vendas. "Isso também nos ajuda a fidelizar os clientes da base". 

Mas, além dos métodos e frameworks, a maior preocupação do Mercado Eletrônico para o sucesso de seu programa de transformação digital foram as pessoas, conforme explicou Fabrizio Tassitano, gerente de solução SaaS do Mercado Eletrônico. "Esse é o nosso principal valor", revelou. De acordo com Tassitano, a cultura das startups é muito mais próxima ao que a empresa buscava para seus colaboradores. "E nos ajudou a pensar mais no negócio e no valor gerado para que os usuários se sintam donos e colaborem de forma espontânea para o nosso sucesso". Para ele, a mudança fez toda a diferença. 

"Pessoas em primeiro lugar" 

Para ajudar a área de recursos humanos, a equipe desenvolveu um aplicativo para realizar a gestão de seus colaboradores de forma individual e personalizada. O Gente & Gestão, feito com a tecnologia App Builder do ME, centraliza informações como currículo, avaliações de desempenho, prêmios conquistados, movimentações de áreas e cargos, aspirações profissionais e outros dados importantes de cada colaborador. 

Mais do que reunir dados da área, o app ajuda na progressão da carreira dos colaboradores, dando uma visão geral do desempenho do profissional e mantendo o RH informado sobre as expectativas de cada pessoa em relação à carreira e o crescimento profissional. "O desenvolvimento profissional dos colaboradores é uma prioridade para nós. Por isso, nosso principal valor é pessoas em primeiro lugar", falou Adriana Oliveira, gerente de RH do Mercado Eletrônico. 

Outra ação implementada pelo RH foi o BlueCard, aplicativo que reconhece o trabalho e o apoio dos colegas. "Muitas vezes dependemos dos nossos gestores para receber reconhecimentos públicos. Com essa ferramenta, nossos colaboradores podem expor o bom trabalho realizado por outros profissionais da companhia, tornando a organização mais integrada e motivada", completou Adriana. 

Para o Mercado Eletrônico, valeu a pena unir uma abordagem mais inovadora a um propósito bem definido. Apenas em 2017, a empresa conquistou o título de Great Place to Work, concedido às empresas que promovem bons negócios em um ambiente de engajamento para os colaboradores, e foi reconhecido pelo Prêmio Inbrasc 2017 como principal líder do mercado de supply chain, logística e compras, nas categorias Marketplace e Leilão Reverso. 

Em 2018, o ME segue colhendo os frutos dessa transição. A empresa recebeu o certificado com o Selo GPTW, tornando-se um Great Place to Work 2018 - um passo importante para fazer parte do ranking do guia que destaca as "150 Melhores Empresas para se Trabalhar em São Paulo" em 2018. "Essa conquista valoriza nossos programas internos e mostra que estamos alinhados às melhores empresas para se trabalhar", comemorou Adriana Oliveira, gerente de Recursos Humanos do Mercado Eletrônico. 



Website: http://www.me.com.br

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
Publicidade
Publicidade