0

“Temos de acelerar a transformação digital”, diz secretário

Luis Felipe Monteiro, da pasta de Governo Digital, prometeu a informatização de pelo menos 1.000 serviços públicos

12 fev 2019
15h18
atualizado às 17h44
  • separator
  • 0
  • comentários

SÃO PAULO - O governo Bolsonaro quer transformar a administração pública “de analógica para digital”. Essa é a promessa que o secretário de Governo Digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Salin Monteiro, fez no AI+Tour, em São Paulo (SP). O intuito, segundo ele, é simplificar a vida dos cidadãos e oferecer serviços públicos práticos pela internet.

Luis Felipe Monteiro, da pasta de Governo Digital, prometeu a informatização de pelo menos 1.000 serviços públicos
Luis Felipe Monteiro, da pasta de Governo Digital, prometeu a informatização de pelo menos 1.000 serviços públicos
Foto: Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação / Reprodução

Dos 2.855 serviços que o Estado fornece ao cidadão, de acordo com Monteiro, apenas 30% são digitais. A dificuldade para essa “informatização” está na grande variedade de ministérios, instituições governamentais, sites e aplicativos sob tutela da esfera federal. 

Acelerar esse processo se tornou mais difícil, segundo o secretário, por conta do investimento em tecnologia dos últimos anos. Desde 2014, segundo dados do Siga Brasil, o governo tem investido, em média, R$ 7,6 bilhões em ciência e tecnologia. O valor é cerca de 88 vezes menor que o dinheiro gasto com a Previdência Social no ano passado.

Dentre os mais de 1.500 sites e aplicativos dos ministérios e instituições governamentais, o governo Bolsonaro tem seu foco na transformação digital direcionado para a área econômica. Os projetos em desenvolvimento pela secretaria de Governo Digital atuam, segundo Monteiro, para simplificar processos como, por exemplo, a abertura de empresas, ou concessão de benefícios da Previdência Social, sem que o cidadão precise sair de casa.

A promessa do governo para a gestão da área digital é criar 1.000 novos serviços digitais, lançar uma identidade comum para os serviços disponibilizados e permitir que o registro de empresas seja feito em até duas horas pela internet. “Sabemos que o futuro é a análise de dados e a computação em nuvem”, diz Monteiro. “Queremos usar isso para que o cidadão saiba usar os sites do governo e encontrem o que procuram.”

Uma das formas que o governo encontrou para acelerar o processo de digitalização dos serviços públicos foi por meio de Parcerias Público-Privadas. Uma delas, ainda em desenvolvimento com a Microsoft, resultará em um chatbot utilizado para atender e sanar dúvidas de beneficiários da Previdência Social. A estimativa é que o robô resolva 100 mil pedidos de informação por dia.

Para que a missão de desburocratização seja cumprida na atual gestão, Monteiro diz que o governo precisou encontrar um jeito simples de disponibilizar todos os serviços já digitalizados em uma única plataforma. A rede “gov.br”   reúne esses métodos desenvolvidos por estados, municípios e entidades governamentais, funcionando como um grande catálogo de serviços informatizados.

Veja também:

 

Fonte: Equipe portal
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade