PUBLICIDADE

Google Maps vai usar IA para guiar usuários em shoppings e aeroportos

A empresa anunciou uma série de novas ferramentas para seu aplicativo de mapas; ferramenta de rota sustentável vai indicar qual é o melhor caminho para percorrer com o menor gasto possível de combustível

30 mar 2021 07h11
ver comentários
Publicidade

Parece videogame, mas é vida real. O Google anunciou nesta terça-feira, 30, novos recursos para o Maps, sua ferramenta de mapas. Entre as novidades, o app vai ter uma função de navegação por ambientes fechados via realidade virtual e 3D, e indicação de trajetos sustentáveis.

Com as mudanças, o objetivo do Google é aumentar a quantidade de recursos do Maps e aprimorar o uso de inteligência artificial (IA) no serviço. Pensando isso, a empresa tem desenvolvido modelos de IA em funções como visualização, informações e navegação.

Para navegação, os novos recursos exploram desde como mostrar o caminho de um endereço diretamente no mapa até quase teletransportar o usuário pela tela do celular, por meio de visualização 3D.

A Live View, por exemplo, é uma ferramenta que permite que o celular funcione como uma plataforma de realidade virtual em shoppings e aeroportos. Basta apontar o celular para o ambiente e ele indica as direções na tela, interagindo com o entorno — com inteligência artificial, é possível reconhecer diferentes lugares e espaços.

Já com a função de visualização 3D é possível visitar os ambientes em uma perspectiva maior, como se você fosse um drone sobrevoando as ruas — a representação é gráfica, diferente da função Street View existente hoje no app, que utiliza fotos reais. Segundo Dane Glasgow, vice-presidente de produtos do Google, a intenção é fazer com que o usuário explore o lugar antes de visitá-lo. Assim, você poderia visualizar um teatro pelo app, por exemplo, e usar a função para saber como chegar à bilheteria em vez de deixar para procurá-la apenas quando chegar ao local.

"Acreditamos que ainda existem muitas categorias para explorar. Nossos modelos de IA podem detectar muitas coisas e nós podemos fazer muito mais", afirmou Glasgow em coletiva com jornalistas, da qual o Estadão participou.

Rotas

Outras novidades envolvem diretamente a relação do usuário com o seu destino: funções de previsão do tempo e qualidade do ar na hora e no local escolhido serão habilitadas no Maps. Além disso, está previsto um maior detalhamento dos ambientes do mapa e a previsão de rotas sustentáveis, indicando qual é o melhor caminho para percorrer com o menor gasto possível de combustível.

A maioria das novas funções serão implementadas em apenas alguns países e só nos próximos meses, antes de alcançar o público global da companhia. No Brasil, a única função que estará disponível em breve é o modo assistente para motoristas: o recurso, que já existe em outros países, é uma assistente de voz integrada ao Maps. Com ela, será possível fazer e receber ligações, mandar mensagens e dar play em músicas a partir de um comando de voz.

Com tantas funções que exploram diretamente a localização do usuário, o manuseio dos dados pode levantar preocupações. Segundo a empresa, todas as ferramentas estão sendo desenvolvidas para coletar o mínimo de informação possível dos dispositivos. O Google, porém, reconhece que ainda é preciso trabalhar na questão por mais algum tempo.

"Tentamos pegar o menor número de dados possível para entender a localização, e rodar a ferramenta é um dos principais desafios com essa função. Queremos fazer esse processamento o mais rápido possível, mas isso passa por dados dos dispositivos", explica Glasgow.

*É estagiária sob supervisão da repórter Giovanna Wolf

Estadão
Publicidade
Publicidade