PUBLICIDADE

Mundo

Vice-presidente do Maláui e mais nove pessoas morrem em acidente de avião

11 jun 2024 - 11h42
Compartilhar
Exibir comentários

O vice-presidente do Maláui, Saulos Klaus Chilima, e outras nove pessoas, incluindo a ex-primeira-dama Shanil Dzimbiri, morreram quando o avião militar em que viajavam caiu, informou o presidente Lazarus Chakwera nesta terça-feira.

A aeronave que transportava Chilima, que era visto como um candidato em potencial para a eleição presidencial do próximo ano, desapareceu na segunda-feira.

"Estou profundamente entristecido, lamento informar a todos vocês que isso acabou se tornando uma terrível tragédia. A equipe de busca e resgate encontrou a aeronave perto de uma colina. Eles a encontraram completamente destruída e sem sobreviventes", disse Chakwera em um pronunciamento à nação.

O avião deixou a capital Lilongwe às 9h17 de segunda-feira, no horário local, mas não conseguiu aterrissar no aeroporto de Mzuzu, como previsto, às 10h02, devido à baixa visibilidade.

Foi ordenado que o avião retornasse a Lilongwe, mas saiu do radar e as autoridades de aviação não conseguiram fazer contato com ele.

Chakwera disse que todos os passageiros a bordo morreram no impacto e que os militares estavam trazendo seus restos mortais de volta à capital.

"Apesar do histórico da aeronave e da experiência da tripulação, algo terrível deu errado com a aeronave em seu voo de volta a Lilongwe, fazendo-a cair e deixando todos nós arrasados", afirmou ele.

Chilima, de 51 anos, retornou da Coreia do Sul no domingo, após participar da cúpula Coreia-África, e estava viajando com os outros passageiros na manhã de segunda-feira para participar do funeral de ex-ministro da Justiça do Maláui, no norte do país.

"O Dr. Saulos Klaus Chilima era um homem bom, um pai e marido dedicado, um cidadão patriota que serviu seu país com distinção e um vice-presidente formidável", disse Chakwera.

Chilima foi preso em 2022 por acusações de corrupção. No entanto, um tribunal do Maláui abandonou as acusações contra ele no mês passado, após representante do Ministério Público apresentar uma notificação para que o caso fosse interrompido. Chilima negou irregularidades.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade