PUBLICIDADE

Segurança de prefeito de Milão é reforçada após ameaças

28 out 2021 16h17
| atualizado às 17h20
ver comentários
Publicidade

A segurança do prefeito de Milão, Giuseppe Sala, precisou ser reforçada nesta quinta-feira (28) após o político ser alvo de graves ameaças em um grupo do aplicativo Telegram formado por membros do movimento antivacina e contra o certificado sanitário.

Segurança de prefeito de Milão é reforçada após ameaças
Segurança de prefeito de Milão é reforçada após ameaças
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

A comissão de ordem e segurança da cidade italiana determinou que patrulhas façam a vigilância em frente à residência do prefeito e tenham atenção especial aos eventos em que ele estiver presente.

Sala foi alvo de ameaças no chat "Chega de ditadura -protestos", no qual representantes "No Vax" e "No green pass" estão registrados. Dois suspeitos foram identificados pela polícia estadual depois de uma investigação coordenada pelo chefe da Seção Distrital de Antiterrorismo do Ministério Público de Milão, Alberto Nobili.

As autoridades executaram dois mandados de busca contra os duas pessoas por graves ameaças e danos ao prefeito de Milão. A operação, coordenada pelos Digos de Milão e pela Direção Central de Polícia de Prevenção, foi realizada pelos policiais de Vercelli e Cagliari.

Um dos suspeitos de insultar Sala e fazer ameaças via chat é um suboficial da Marinha de 51 anos, que está fora de serviço por ser contra a vacinação anti-Covid, residente ao sul da Sardenha.

"Então, tudo certo dar um chute na bunda desse desgraçado quando for visto na cidade", disse ele. Já o outro é um morador de 50 anos da região de Vercelli. Os telefones e computadores pessoais foram apreendidos, e os dois admitiram suas responsabilidades.

Na abertura dos trabalhos da Câmara Municipal, Sala recebeu a solidariedade de todos os parlamentares, que se expressaram "contra todas as formas de ódio e violência verbal".

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade