0

Pompeo diz que EUA irão impor restrições de visto à Huawei por facilitar violações de direitos humanos

15 jul 2020
14h12
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, disse nesta quarta-feira que os EUA irão impor restrições de visto a empresas chinesas como a Huawei Technologies, que acusou de facilitar violações de direitos humanos.

08/07/2020
REUTERS/Tom Brenner
08/07/2020 REUTERS/Tom Brenner
Foto: Reuters

Pompeo também disse que as empresas de telecomunicações em todo o mundo "devem considerar" que, se fizerem negócios com a Huawei, "estão fazendo negócios com violadores dos direitos humanos".

Ele afirmou em entrevista coletiva que o Departamento de Estado "irá impor restrições de visto a certos funcionários de empresas de tecnologia chinesas como a Huawei, que fornecem apoio material a regimes envolvidos em violações e abusos dos direitos humanos em todo o mundo".

Em declaração separada referindo-se a supostos abusos contra a minoria muçulmana da China, Pompeo acusou a Huawei de ser "um braço do estado de vigilância do Partido Comunista Chinês que censura dissidentes políticos e permite campos de confinamento em massa em Xinjiang e a servidão de sua população em toda a China".

"Certos funcionários da Huawei fornecem apoio material ao regime do Partido Comunista Chinês, que comete violações dos direitos humanos", afirmou em comunicado.

A Huawei nega realizar espionagem para a China e diz que os Estados Unidos querem frustrar seu crescimento, porque nenhuma empresa dos EUA oferece a mesma tecnologia a um preço competitivo.

Questionada sobre os comentários de Pompeo, uma porta-voz da Huawei disse: "Estamos analisando e compartilharemos a declaração assim que tivermos uma."

Veja também:

Explosão no Líbano: BBC visita epicentro do desastre no porto de Beirute
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade