0

Os 9 passos para realmente desarmar a Coreia do Norte

Independente do tempo deste desmantelamento, a tarefa será enorme

12 jun 2018
13h57
atualizado às 14h08
  • separator
  • comentários

O fim do vasto programa atômico da Coreia do Norte pode ser o caso mais desafiador de desarmamento nuclear na história. O jornal americano The New York Times separou nove pontos para alcançar e verificar a remoção das armas nucleares, o desmantelamento de seu complexo atômico e a eliminação de outras armas de destruição em massa.

Kim Jong-un é também comandante-chefe das Forças Armadas da Coreia do Norte
Kim Jong-un é também comandante-chefe das Forças Armadas da Coreia do Norte
Foto: DW / Deutsche Welle

Pouco antes da cúpula histórica desta terça-feira, 12, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que conversaria com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, em Cingapura porque este havia sinalizado a disposição de "desnuclearizar" o país. Nas últimas semanas, Trump parece ter se afastado de sua insistência anterior em um desmantelamento rápido das armas nucleares e instalações de produção, antes que a Coreia do Norte recebesse sanções.

Independente do tempo deste desmantelamento, a tarefa de "desnuclearizar" será enorme. A Coreia do Norte tem 141 campos voltados à produção e ao uso de armas de destruição em massa, de acordo com um relatório de 2014 da Rand Corporation. Um deles - Youngbyon, o principal complexo atômico do país - cobre mais de 3 km².

Recentemente, o Instituto de Ciência e Segurança Internacional, um grupo privado em Washington, inspecionou imagens satélites de Yongbyon e contou 663 edifícios. Vale lembrar que a Coreia do Norte tem o tamanho da cidade americana de Pensilvânia.

O desafio do desarmamento é pior pela incerteza a respeito de quantas armas nucleares o país possui - a estimativa varia entre 20 a 60 - e se os túneis dentro de suas montanhas escondem mísseis. Esse processo deveria começar com a declaração da Coreia do Norte de todas as suas instalações e armas, que seria comparado pelas agências de inteligência com suas próprias listas e informações.

Especialistas nucleares, como David A. Kay, argumentam que o complexo de armas norte-coreano é muito extenso para que pessoas de fora consigam desmantelá-lo. Segundo Kay, o melhor modo é que os inspetores ocidentais monitorem o desarmamento do país. O tempo estimado varia de anos para uma década e meia - bem depois de Trump deixar a presidência dos EUA.

A magnitude do desafio norte-coreano se torna mais clara quando comparada a esforços anteriores de desarmar outras nações. Por exemplo, o programa nuclear da Líbia era tão subdesenvolvido que as centrífugas nunca haviam sido desembaladas de suas caixas de embarque originais.

A infraestrutura dos programas nucleares na Síria, no Iraque, no Irã e na África do Sul era muito menor. Mesmo assim, Israel bombardeou um reator iraquiano em 1981 e um sírio em 2007. Porém, as tentativas de desarmar estes países não seguiram todas as estratégias recomendadas para fazê-lo com eficiência.

Desta forma, são essenciais o desenvolvimento de nove passos para desarmar, por completo, a Coreia do Norte:

1) Desmantelar e remover armas nucleares

É necessário desmontar cada arma nuclear do arsenal norte-coreano e enviar seus componentes para fora do país de forma segura.

2) Encerrar o enriquecimento de urânio

Precisa-se desmontar as plantas onde as centrífugas giram em velocidades supersônicas para produzir combustível para reatores nucleares e bombas atômicas.

3) Desabilitar reatores

Obturar reatores nucleares que transformam urânio em plutônio, uma segunda bomba de combustível.

4) Fechar os campos de testes nucleares

Realizar explosões que realmente destruam os túneis e sua infraestrutura, ou tomar medidas adicionais para tornar o complexo inutilizável.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, assinaram nesta terça-feira um acordo de desnuclearização da península coreana. O compromisso foi fechado horas após o primeiro encontro dos dois.

5) Encerrar a produção de combustível de bombas de hidrogênio

Fechar plantas de combustível exóticas que podem produzir bombas atômicas centenas de vezes mais destrutivas.

6) Sempre inspecionar todos os lugares

Em um país montanhoso, é necessário dar liberdade aos inspetores internacionais para vaguear e inspecionar cada local, com monitoramento automatizado dos principais campos nucleares.

7) Destruir armas germinativas

Eliminar armas biológicas mortíferas, sob constante inspeção.

8) Destruir armas químicas

Eliminar agentes químicos letais que a Coreia do Norte já usou com seus inimigos, como o agente VX.

9) Refrear seu programa de mísseis

É necessário acabar com as ameaças de disparo de mísseis de longo alcance aos EUA e de médio alcance ao Japão e à Coreia do Sul.

Veja também

 

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade