0

Voto hispânico tem bastante peso em vitória de Obama

7 nov 2012
06h31
atualizado às 08h48

O forte apoio dos eleitores hispânicos, o grupo demográfico que cresce mais rápido nos EUA, ajudou o presidente Barack Obama a garantir um segundo mandato na Casa Branca. O apoio para Obama entre os hispânicos foi de cerca de 66%, de acordo com pesquisa Reuters/Ipsos no dia da eleição, aproximadamente em linha com a porcentagem que votou a favor dele quatro anos atrás.

Com os olhos marejados, o presidente reeleito sorri diante da plateia que ouve seu discurso de vitória
Com os olhos marejados, o presidente reeleito sorri diante da plateia que ouve seu discurso de vitória
Foto: AP

O essencial do dia em que os EUA reelegeram Obama
Obama revisita esperança e diz que "o melhor está por vir"
Romey admite derrota: "eleição acabou, mas princípios permanecem"
Fotos: os democratas comemoram e os republicanos choram
Confira como foi o dia de votação nos 50 Estados americanos

Confira os especiais das eleições nos EUA
Confira a apuração nos EUA em tempo real
Terra acompanha dia decisivo para o futuro dos EUA
Especial traz reportagens dos bastiões democratas e republicanos
Veja os vídeos sobre as eleições americanas

Era crucial para Obama reter o cobiçado bloco de eleitores, especialmente porque ele perdeu apoio entre homens brancos, disse o cientista político Matt Barreto, da Universidade de Washington, que rastreou a intenção de voto hispânica por meses. Obama viu seu apoio entre homens brancos cair de 41% em 2008 para 36% nestas eleições.

O presidente reeleito fez um grande esforço para cortejar os estimados 24 milhões de potenciais eleitores hispânicos, buscando superar algum descontentamento com suas políticas de imigração. Em setembro, Obama disse que "seu maior fracasso" foi a falta de uma ampla reforma da imigração, apesar de sua administração ter lançado um programa em junho que autoriza jovens imigrantes sem documentos a se candidatarem para trabalhos temporários.

"Nós vimos o entusiasmo com a posição de Obama crescer entre os hispânicos e os eleitores de forma geral após o anúncio de sua candidatura", disse Barreto. O ex-governador de Massachusetts Mitt Romney, o rival republicano de Obama, assumiu uma linha-dura sobre imigração, dizendo que imigrantes ilegais deveriam deixar o país, ou se "autodeportar", antes de fazer uma tentativa de obter a cidadania.

Os hispânicos são responsáveis por mais da metade do crescimento populacional dos EUA, de acordo com dados do censo de 2010. A população hispânica no sul, uma base republicana, cresceu 57% entre 2000 e 2010 - quatro vezes o crescimento da população geral da região. A vitória de Obama, porém, coloca a agenda de imigração em suas mãos. Notavelmente, quando Obama elencou suas maiores prioridades bipartidárias em seu discurso de vitória, no início da manhã de quarta-feira, "arrumar o sistema de imigração" estava entre elas.

Veja também:

Coronavírus: Por dentro de uma UTI de um hospital lutando contra a covid-19
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade