Presidente do Irã culpa Israel por assassinato de cientista

Mohsen Fakhrizadeh-Mahabadi trabalhava em programa nuclear

28 nov 2020
10h02 atualizado às 12h18
0comentários
10h02 atualizado às 12h18
Publicidade

O presidente do Irã, Hassan Rohani, acusou Israel de agir como "mercenário" dos Estados Unidos ao supostamente assassinar um dos líderes do programa nuclear do país, Mohsen Fakhrizadeh-Mahabadi, em uma emboscada na última sexta-feira (27).

Em declaração neste sábado (28), Rohani disse que "as mãos malvadas da arrogância global [EUA], com o regime usurpador sionista como mercenário, estão manchadas com o sangue de um filho desta nação".

Imagem da TV estatal iraniana mostra cena da emboscada contra Mohsen Fakhrizadeh-Mahabadi
Imagem da TV estatal iraniana mostra cena da emboscada contra Mohsen Fakhrizadeh-Mahabadi
Foto: EPA / Ansa

Fakhrizadeh-Mahabadi foi vítima de uma emboscada em Absard, nos arredores de Teerã, enquanto fazia um trajeto de carro.

Recentemente, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, havia acusado o cientista de gerenciar um plano de desenvolvimento de armas nucleares, mas o Irã diz que seu programa atômico tem fins pacíficos.

Fontes da inteligência americana citadas pelo jornal The New York Times também disseram que Israel está por trás do assassinato. "O excepcional cientista no campo da tecnologia nuclear e de defesa foi assassinado por mercenários criminosos, mas seus esforços devem prosseguir", afirmou neste sábado o guia supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei.

No início do ano, o país persa já havia perdido outra personalidade importante em sua estrutura política e militar, o general Qassem Soleimani, morto em um bombardeio americano no Iraque.

 

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade