PUBLICIDADE

Oposição síria acusa regime de lançar bombas de fósforo

27 ago 2013 14h58
| atualizado às 15h05
ver comentários
Publicidade

A Coalizão Nacional Síria (CNFROS), de oposição, denunciou nesta terça-feira que pelo menos dez civis morreram e outras dezenas ficaram feridas em ataques das forças do regime sírio com bombas de fósforo branco e napalm em Aleppo. Em comunicado, a aliança classificou como "massacre horrível" o que houve na cidade de Orum al Kubra, na periferia de Aleppo, onde aviões de combate teriam bombardeado essas substâncias.

A CNFROS não especifica quando foi feito o novo ataque, mas diversos grupos de ativistas informaram ontem sobre bombardeios "com substâncias estranhas" em Orum al Kubra e que os corpos sofreram graves queimaduras e ficaram desfigurados.

A aliança opositora pediu à comunidade internacional que compreenda "a gravidade das consequências da violência sistemática do regime contra os civis e de seus ferozes ataques contra centros residenciais".

A denúncia é feita em meio a uma crescente pressão internacional contra Damasco, com ameaças de intervenção militar, após o suposto ataque químico de quarta-feira passada na periferia da capital, onde, segundo a CNFROS, 1,3 mil pessoas morreram. Uma equipe de analistas da ONU está neste momento na Síria para investigar se foram usadas armas químicas no país.

A Liga Árabe pediu hoje ao Conselho de Segurança da ONU que supere as divergências entre seus membros e tome medidas "dissuasórias e necessárias" contra o regime sírio - que responsabilizou pelo uso de armas químicas contra os civis.

EFE   
Publicidade
Publicidade