4 eventos ao vivo

Obama é 'lobo em pele de cordeiro', diz Julian Assange

7 nov 2012
17h12
atualizado às 17h54

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, é "um lobo em pele de cordeiro", disse nesta quarta-feira o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, que esta refugiado na embaixada equatoriana em Londres. Para ele, não há motivos para se comemorar a reeleição do democrata.

Refugiado na embaixada do Equador em Londres, fundador do Wikileaks acusa EUA de perseguição política
Refugiado na embaixada do Equador em Londres, fundador do Wikileaks acusa EUA de perseguição política
Foto: CNN / Reprodução

O essencial do dia em que os EUA reelegeram Obama
Obama revisita esperança e diz que "o melhor está por vir"
Romey admite derrota: "eleição acabou, mas princípios permanecem"
Fotos: os democratas comemoram e os republicanos choram
Confira como foi o dia de votação nos 50 Estados americanos

Confira os especiais das eleições nos EUA
Confira a apuração nos EUA em tempo real
Terra acompanha dia decisivo para o futuro dos EUA
Especial traz reportagens dos bastiões democratas e republicanos
Veja os vídeos sobre as eleições americanas

"Obama parece ser um bom homem, e esse é exatamente o problema. É melhor ter uma ovelha em pele de lobo do que um lobo em pele de cordeiro", declarou à AFP por telefone, horas depois da confirmação da vitória do presidente democrata contra o republicano Mitt Romney.

O australiano, de 41 anos, lembrou que todas as ações apresentadas contra o WikiLeaks nos Estados Unidos ocorreram durante o primeiro mandato de Obama, inclusive a prisão em maio de 2010 de Bradley Manning, o militar americano acusado de vazar documentos secretos sobre as guerras do Iraque e do Afeganistão a a sua organização.

Assange também criticou o Partido Republicano por não ter sido "uma força de restrição aos excessos do governo" na oposição. "Não há razões para pensar que isso vai mudar. De fato, os republicanos vão pressionar esta administração a excessos maiores ainda", afirmou.

Nesse sentido, ele declarou estar convencido que um governo liderado por Romney trataria Manning de forma pior. O militar espera seu julgamento e corre o risco de ser condenado à prisão perpétua.

Sobre a sua própria situação, Assange afirmou que "não houve progressos formais nas últimas semanas" nos esforços diplomáticos entre os governos equatoriano e britânico.

Assange se refugiou na embaixada do Equador em Londres em junho para evitar uma extradição para a Suécia, onde é acusado por crimes sexuais. Após receber asilo político do governo de Rafael Correa, Assange segue na espera por um salvo-conduto para deixar Londres ou uma garantia de que não será extraditado aos Estados Unidos.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade