5 eventos ao vivo

Homens invadem Parlamento australiano em ato contra a burca

Vestindo uma máscara da Kux Klux Klan, um niqab e um capacete de motociclista, os homens disseram estar protestando pela "igualdade" no país

27 out 2014
14h51
atualizado às 14h56
  • separator
  • 0
  • comentários

Três australianos tentaram invadir o Parlamento em Canberra, na manhã desta segunda-feira, para protestar contra o uso da burca no país, informou o Mashable.

<p>Sergio Redegalli, Nick Folkes e Victor Waterson posam para jornalistas no Parlamento de Canberra</p>
Sergio Redegalli, Nick Folkes e Victor Waterson posam para jornalistas no Parlamento de Canberra
Foto: Twitter

Os homens, identificados como Sergio Redegalli, Nick Folkes e Victor Waterson tinham os rostos cobertos por uma máscara da Kux Klux Klan, um niqab e um capacete de motociclista.

Havia sido proposto no início deste mês um projeto que visava posicionar as mulheres que usam niqabs e burcas em áreas envidraçadas, reservadas para a visita de crianças em idade escolar. Como o projeto não foi aprovado, o Parlamento passou a obrigar a remoção de qualquer revestimento que impeça o reconhecimento das característticas faciais, para que a equipe de segurança possa fazer a identificação.

Os manifestantes disseram estar protestando pela "igualdade na Austrália". 

Folkes, que é fundador do grupo político de extrema-direita Partido da Liberdade, descreveu a si mesmo em seu site como "um australiano patriótico com aspirações políticas que se opõem ferozmente a ideólogos de esquerda e suas agendas destrutivas para subverter a Austrália." Ele acredita que a falta de nacionalismo no governo está contribuindo para o declínio do padrão de vida.

Folkes realizou um protesto semelhante em 2012, quando um grupo de sete homens vestidos em burcas andava pelas ruas de Sydney para pedir a proibição à "burca ofensiva." Eles entraram em um banco, no edifício de um tribunal distrital e em um pub. 

Waterson é ex-candidato dos partidos One Nation e Australia First Party (fundado por um neonazista), onde fazia campanha pela "Austrália Branca'. 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade