PUBLICIDADE

Mundo

O que se sabe sobre ataque que matou cinco pessoas em Sydney

Além das cinco pessoas que morreram após esfaqueamentos em shopping na cidade australiana, segundo a polícia, o suspeito de ser o agressor foi morto a tiros.

13 abr 2024 - 06h02
(atualizado às 07h18)
Compartilhar
Exibir comentários
Polícia e bombeiros atuando após várias pessoas foram esfaqueadas dentro do shopping center Westfield Bondi Junction em Sydney
Polícia e bombeiros atuando após várias pessoas foram esfaqueadas dentro do shopping center Westfield Bondi Junction em Sydney
Foto: Reuters / BBC News Brasil

Cinco pessoas morreram após vários esfaqueamentos em um shopping em Sydney, na Austrália, segundo a polícia.

Outras vítimas foram levadas ao hospital em estado grave e uma criança pequena foi identificada entre os feridos neste sábado (13/4).

O homem suspeito de ser o agressor foi morto por uma policial que estava próxima ao local.

"Ela confrontou o infrator", disse o comissário assistente da polícia Anthony Cooke a jornalistas em entrevista próxima ao shopping onde ocorreu o ataque.

"Enquanto ela andava rapidamente atrás dele para alcançá-lo, ele se virou, encarou-a e ergueu uma faca. Ela disparou uma arma de fogo e essa pessoa morreu", descreveu.

Após o ataque, a polícia afirmou que não há "nenhuma ameaça contínua" ao público e que o agressor "agiu sozinho".

Força tática da polícia atua na área de Bondi Junction após pessoas serem esfaqueadas em shopping de Sydney
Força tática da polícia atua na área de Bondi Junction após pessoas serem esfaqueadas em shopping de Sydney
Foto: Reuters / BBC News Brasil

Segundo autoridades australianas, ainda está em investigação a motivação do ataque.

O primeiro-ministro australiano, Anthony Albanese, disse que "os corações estão com os feridos" e agradeceu às equipes de socorro.

Ambulâncias na área de Bondi Junction responderam a chamados que relataram "homem correndo por Westfield (shopping) com uma faca".

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade