PUBLICIDADE

Netanyahu alega que coalizão israelense é "fraude eleitoral"

Primeiro-ministro concentrou suas alegações em uma promessa de campanha do homem que deverá substituí-lo, Naftali Bennett

6 jun 2021 15h11
| atualizado às 15h30
ver comentários
Publicidade
Premiê de Israel, Benjamin Netanyahu
REUTERS/Nir Elias
Premiê de Israel, Benjamin Netanyahu REUTERS/Nir Elias
Foto: Reuters

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse neste domingo, 6, que uma coalizão israelense recém-formada que está prestes a destituí-lo foi o resultado da "maior fraude eleitoral" na história da democracia.

Netanyahu fez sua ampla acusação em um momento em que o chefe da segurança doméstica de Israel alertou publicamente sobre a perspectiva de violência política. O primeiro-ministro concentrou suas alegações em uma promessa de campanha não cumprida por Naftali Bennett, nacionalista que deverá substituí-lo no cargo.

Bennett prometeu não se associar a partidos de esquerda, de centro e árabes, mas, na quarta-feira, anunciou com o líder da oposição Yair Lapid que eles formaram uma coalizão governamental com facções de todo o espectro político. Em um acordo rotativo, Bennett servirá primeiro como primeiro-ministro, seguido por Lapid.

Nenhuma data foi fixada para uma votação no parlamento para aprovar o novo governo, que segue uma eleição inconclusiva de 23 de março, mas é amplamente esperado que ele seja empossado em 14 de junho.

"Estamos testemunhando a maior fraude eleitoral da história do país, na minha opinião, na história de qualquer democracia", disse Netanyahu, em comentários aos legisladores de seu partido de direita Likud.

"É por isso que as pessoas se sentem enganadas com razão e estão respondendo, não devem ser caladas", disse ele nos comentários, que foram transmitidos ao vivo e se referiam indiretamente à promessa de campanha de Bennett de não se associar a Lapid e outros.

Netanyahu, o líder de Israel que há mais tempo está no cargo, está no cargo desde 2009 e seu mandato foi obscurecido por um julgamento de corrupção em andamento, no qual ele negou qualquer delito.

Assista também:

Por que aconteceram novos confrontos em Jerusalém?:
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade