0

Migrantes da Venezuela para Colômbia superam um milhão em 15 meses, diz governo

13 jun 2018
17h14
atualizado às 18h29
  • separator
  • comentários

Mais de um milhão de pessoas deixaram a Venezuela para viver na Colômbia ao longo dos últimos 15 meses, e a expectativa é que as chegadas continuem, disse o governo colombiano nesta quarta-feira, no momento em que seu vizinho socialista atravessa uma profunda crise econômica.

Mulher preenche formulário de imigração antes de passar a fonteira para a Colômbia em San Antonio del Tachira, Venezuela
13/08/2016
REUTERS/Carlos Eduardo Ramirez
Mulher preenche formulário de imigração antes de passar a fonteira para a Colômbia em San Antonio del Tachira, Venezuela 13/08/2016 REUTERS/Carlos Eduardo Ramirez
Foto: Reuters

Uma pesquisa nacional realizada durante dois meses para monitorar migrantes mostrou que 442.462 venezuelanos sem vistos, com passaportes carimbados ou permissão temporária tinham chegado ao longo dos 15 meses. Outras 376.572 pessoas tinham permissão legal.

Além disso, cerca de 250 mil cidadãos colombianos que estavam morando na Venezuela também retornaram para casa durante este período.

"Mais de um milhão de pessoas migraram da Venezuela para a Colômbia nos últimos 15 meses, das quais 250 mil são colombianos que estão retornando e 819 mil são venezuelanos com intenção de ficar", disse Felipe Muñoz, diretor de questões de fronteira do governo colombiano, à Reuters.

A Colômbia havia pedido a venezuelanos para se registrarem quando não tiverem vistos de trabalho ou turismo, cidadania dupla ou algum outro tipo de permissão formal para permanecer na Colômbia. O governo disse que a informação visa ajudar a entender a necessidade de recursos para educação, saúde e outros serviços.

Venezuelanos sem documentos que não se registraram no censo estão sujeitos à deportação, disse Christian Kruger, diretor da agência de migração.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade