PUBLICIDADE

Líder do Irã atribui protestos a inimigos que tentam derrubar República Islâmica

4 jun 2022 - 13h14
Ver comentários

O líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, atribuiu neste sábado os protestos recentes no Irã a inimigos estrangeiros que buscam derrubar a República Islâmica.

Líder do Irã, o aiatolá Ruhollah Khomeini, fala durante celebração pelo aniversário pela morte do aiatolá Khomeini. 4/6/2022.
Líder do Irã, o aiatolá Ruhollah Khomeini, fala durante celebração pelo aniversário pela morte do aiatolá Khomeini. 4/6/2022.
Foto: Reuters

Ele também disse que os Estados Unidos e seus aliados estão travando uma "guerra psicológica" contra o Irã, acusando-o de pirataria por apreender dois navios gregos após confiscar o petróleo iraniano de um navio-tanque.

"Hoje, a esperança mais importante dos inimigos de dar um golpe no país é baseada em protestos populares", disse Khamenei, referindo-se aos protestos de uma semana pelo colapso de um prédio no sudoeste do Irã no mês passado, que matou 37 pessoas.

"Eles esperam virar o povo contra o governo islâmico e a República Islâmica por meio de trabalho psicológico, atividades na internet e ciberespaço... e gastando dinheiro e recrutando mercenários".

"Mas o cálculo dos inimigos está tão errado quanto muitos anteriores", disse ele em discurso televisionado no aniversário da morte do líder da revolução islâmica do Irã em 1979, aiatolá Ruhollah Khomeini.

As autoridades atribuíram o colapso do edifício residencial e comercial de 10 andares em Abadan à corrupção local e à falta de segurança e dizem que 13 pessoas, incluindo prefeitos e outros funcionários, foram presas até agora por violações de construção.

Os manifestantes, no entanto, dizem que o desastre resultou de negligência do governo e corrupção arraigada e gritaram slogans contra autoridades, incluindo Khamenei.

Iranianos relataram serviços de internet interrompidos, numa aparente tentativa de interromper o uso das mídias sociais para organizar comícios e divulgar vídeos. As autoridades alertaram as pessoas para seguir apenas a mídia oficial e evitar "rumores" das mídias sociais.

Os EUA, que impuseram duras sanções ao Irã, confiscaram a carga de petróleo de um navio de bandeira iraniana que a Grécia apreendeu em sua costa em abril. Teerã reagiu apreendendo dois navios gregos em 27 de maio.

Mas a mídia mundial acusa o Irã de pirataria, disse Khamenei. "Quem é o pirata aqui? Você roubou nosso petróleo. Nós o pegamos de volta . Recuperar um bem roubado não é roubo."

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade