2 eventos ao vivo

Itália registra mais 12.415 casos e 377 mortes por Covid

Governo impôs lockdown em duas regiões e uma província

17 jan 2021
14h05
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Itália registrou neste domingo (17) mais 12.415 casos e 377 mortes na pandemia do novo coronavírus, elevando os totais de contágios e óbitos para 2.381.277 e 82.177, respectivamente.

Centro de Brescia, na Lombardia, vazio após governo da Itália colocar a região em lockdown
Centro de Brescia, na Lombardia, vazio após governo da Itália colocar a região em lockdown
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

O novo boletim foi divulgado pelo Ministério da Saúde e apresenta uma queda no número de casos e um aumento nas mortes em relação ao domingo da semana passada, quando haviam sido contabilizados 18.627 diagnósticos positivos e 361 vítimas.

Por conta disso, a média móvel de contágios em sete dias caiu de 15.840 no sábado (16) para 14.952, enquanto a de óbitos subiu de 487 para 489. A Itália também soma 1.745.726 pacientes curados e 553.374 casos ativos.

Na última sexta-feira (15), o Instituto Superior da Saúde apontou uma tendência de "piora geral" da pandemia no país, com aumento do índice de transmissibilidade do novo coronavírus pela quinta semana seguida, chegando a 1,09.

Isso significa que um infectado contamina mais de uma pessoa. Por conta disso, o governo colocou duas regiões (Lombardia e Sicília) e a província autônoma de Bolzano, que englobam quase 26% da população nacional, em lockdown a partir deste domingo.

Contudo, tanto a Lombardia quanto Bolzano prometem tentar reverter a decisão. Além disso, o ministro da Saúde, Roberto Speranza, assinou uma ordem que proíbe voos provenientes do Brasil e a entrada de viajantes que tenham transitado pelo país nos 14 dias anteriores à chegada na Itália.

A medida se deve à nova variante do Sars-CoV-2 detectada em Manaus. A nação europeia iniciou sua campanha de vacinação em 27 de dezembro e, até o momento, já aplicou a primeira dose em mais de 1,1 milhão de pessoas.

Veja também:

O menino cego de 9 anos que dá aula em escola destruída pela guerra no Iêmen
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade