PUBLICIDADE

Crimeia diz que assumirá controle militar da península nesta 3ª feira

República autônoma planeja tomar o controle de todas as unidades militares ucranianas em seu território; mísseis antiaéreos estão às ordens do governo

4 mar 2014 09h26
| atualizado às 09h35
ver comentários
Publicidade

O primeiro-ministro da Crimeia, o pró-russo Sergei Axionov, declarou que a república autônoma planeja tomar nesta terça-feira o controle de todas as unidades militares ucranianas em seu território. "Achamos que a situação ficará normalizada ao longo do dia de hoje", declarou Axionov em entrevista coletiva.

Segundo Axionov, o governo vai propor aos chefe das unidades militares ucranianas que se ponham às ordens da república autônoma, explicando que, aqueles que não estiverem de acordo, poderão deixar livremente o território da Crimeia.

O líder pró-russo também anunciou que convocará um referendo no próximo dia 30 de março para decidir o estatuto da cidade de Sebastopol, onde se encontra a frota russa do Mar Negro. Desta forma, segundo ele, a consulta sobre a ampliação da autonomia, prevista para esse mesmo dia, poderia ser adiada.

"Acho que o referendo (sobre a autonomia) vai acontecer antes de 30 de março. Hoje tomaremos a decisão e trataremos de conhecer a vontade dos crimeanos o mais rápido possível para atuar de acordo com ela", disse Axionov, cuja autoridade não é reconhecida pelo governo central da Ucrânia.

O primeiro-ministro adiantou que a pergunta do referendo poderia ser modificada, embora não tenha mencionada as possíveis mudanças que poderiam ser introduzidas.

"Apoia o senhor a autodeterminação da Crimeia no seio da Ucrânia sobre a base dos acordos e tratados internacionais?", dizia a pergunta aprovada inicialmente pelas autoridades pró-russas da Crimeia.

Unidades antiaéreas da Ucrânia se colocam às ordens do governo da Crimeia
Três unidades de mísseis antiaéreos das Forças Armadas da Ucrânia se colocaram às ordens do governo da Crimeia, anunciou nesta terça-feira um porta-voz das autoridades pró-russas dessa república autônoma no sul da Ucrânia.

"Mais de 700 soldados e oficiais declararam que estão dispostos a defender à população da Crimeia", disse um porta-voz do governo autônomo - cuja legitimidade não é reconhecida pela administração central em Kiev - à agência oficial russa RIA Novosti.

O porta-voz detalhou que os efetivos pertencem aos regimentos de mísseis antiaéreos 50, 55 e 147, que se encontram nas cidades de Eupatoria, Feodosia e Fiolente, respectivamente.

O funcionário acrescentou que as unidades de defesa antiaérea ucranianas que se subordinaram ao governo da Crimeia estão equipadas com mais de 20 baterias de mísseis antiaéreos Buk e mais de 30 sistemas de mísseis S-300.

O governo de Kiev negou que estejam ocorrendo deserções na república autônoma da Crimeia e qualificou de "provocações" as informações divulgadas pelas autoridades pró-russas da península.

A Crimeia conta com 2 milhões de habitantes, dos quais quase 60% são russos, 25% ucranianos e 12% tártaros
A Crimeia conta com 2 milhões de habitantes, dos quais quase 60% são russos, 25% ucranianos e 12% tártaros
Foto: Arte Terra

EFE   
Publicidade
Publicidade