PUBLICIDADE

Chicago divulga vídeo em que garoto de 13 anos é baleado e morto pela polícia

15 abr 2021
0comentários
Publicidade

Autoridades da cidade norte-americana de Chicago divulgaram nesta quinta-feira ao público imagens de uma câmera corporal que mostra um policial atirando e matando um menino de 13 anos que parece ter as mãos levantadas em um beco há mais de duas semanas. 

Imagem mostra Adam Toledo, de 13 anos, caído após ser baleado em Chicago
 29/3/2021    Divulgação
Imagem mostra Adam Toledo, de 13 anos, caído após ser baleado em Chicago 29/3/2021 Divulgação
Foto: Reuters

O vídeo de nove minutos começa ao mostrar um policial não-identificado saindo de seu carro de patrulha e correndo atrás de Adam Toledo às 2:30 da manhã no dia 29 de março em Little Village, um bairro na zona oeste da cidade.

O vídeo captado pela câmera que fica acoplada ao corpo do policial então mostra que ele gritou "pare" para Toledo antes de alcançá-lo e ordenar que ele mostrasse suas mãos. Toledo pareceu levantar suas mãos pouco antes de o policial atirar uma vez e imediatamente correr em direção ao menino, que cai ao chão. 

"Tiros disparados, tiros disparados. Tragam uma ambulância aqui agora", diz o policial no vídeo.

"Fique comigo, fique comigo", diz o policial. "Alguém traga o kit médico agora!".

O Departamento de Polícia de Chicago disse imediatamente após o incidente que Toledo tinha uma arma em sua mão. Não está claro no vídeo se ele possuía uma arma no momento em que foi baleado. 

Aproximadamente aos 5 minutos e 30 segundos no vídeo, o policial ilumina com a lanterna uma arma no chão a alguns metros de onde os policiais trabalhavam freneticamente para salvar a vida de Toledo, administrando os primeiros socorros.

Os policiais estavam perseguindo Toledo e um homem após receberem notificações de que tiros haviam sido disparados na área, afirmou o departamento.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade