2 eventos ao vivo

Comissárias de bordo chinesas reclamam de uniformes sensuais

Segundo elas, as blusas que compõem o conjunto são muito curtas e as saias muito justas; 27% dos membros da tripulação de cabine de Hong Kong foram alvo de assédio sexual nos últimos 12 meses

5 mai 2014
16h31
atualizado às 16h33
  • separator
  • 0
  • comentários

As comissárias de bordo da companhia área Cathay Pacific, de Hong Kong, querem que a empresa mude os uniformes usados por elas, considerados muito sensuais e facilitadores de assédio sexual - informou nesta segunda-feira o sindicato.

<p>As comissárias de bordo da Cathay Pacific reclamam que seus uniformes são muito justos e curtos</p>
As comissárias de bordo da Cathay Pacific reclamam que seus uniformes são muito justos e curtos
Foto: AFP

Para a tripulação feminina das cabines, as blusas brancas que compõem o conjunto são muito curtas e as saias vermelhas muito justas, afirmou à AFP o chefe do sindicato de tripulantes de voo da Cathay Pacific Airways (FAU).

As comissárias "estão preocupadas com o uniforme curto demais" que usam para trabalhar, disse o vice-presidente do FAU, Julian Yau, avaliando que a roupa pode ser causa de assédio sexual.

Yau afirma que o uniforme tem sido fonte recorrente de queixas por parte da tripulação feminina desde 2011, quando foi adotado. As comissárias não exigem que todo o conjunto seja mudado: pedem apenas camisas mais folgadas, e saias menos marcadas.

"Esperamos que a Cathay faça alguma coisa a respeito", disse Yau.

Segundo um estudo publicado em fevereiro, 27% dos membros da tripulação de cabine de Hong Kong foram alvo de assédio sexual durante os voos, nos últimos 12 meses.

As mulheres representam 86% dos 392 participantes da pesquisa que garantiram ter sido assediados durante as viagens.

Procurada pela equipe local da AFP, a empresa Cathay Pacific ainda não se pronunciou sobre o assunto.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade