0

Adolf Hitler: a surpreendente história da amizade entre o líder nazista e a menina de origem judia Rosa Bernile Niernau

Quando o líder nazista conheceu uma garotinha que fazia aniversário no mesmo dia que ele, passou a receber cartas constantes dela, uma 'não ariana'. Mas o contato acabou sendo interrompido. Foto de ambos acaba de ser leiloada.

18 nov 2018
08h54
atualizado às 12h07
  • separator
  • 4
  • comentários

À primeira vista, a imagem de um homem abraçando uma menina sorridente remete a uma cena de felicidade. Mas, olhando mais de perto, a foto tirada em 1933 revela uma história muito mais complexa. O homem é Adolf Hitler, cujo governo nazista promoveu o assassinato de 6 milhões de jueus. E a menina é Rosa Bernile Nienau, menina que à época tinha provavelmente seis anos - e cuja avó era judia.

Foto de Adolf Hitler com Rosa Bernile Nienau foi leiloada por mais de US$ 11 mil
Foto de Adolf Hitler com Rosa Bernile Nienau foi leiloada por mais de US$ 11 mil
Foto: Alexander Historical Auctions / BBC News Brasil

Na terça-feira, a curiosa foto dos dois, feita por Henrich Hoffmann, fotógrafo pessoal de Hitler, foi leiloada nos EUA por US$ 11,5 mil (cerca de R$ 43 mil), de acordo com a casa de leilões Alexander Historical Auctions, do Estado de Maryland.

Detalhe ampliado da foto: "A querida (e atenciosa?) Rosa Nienau. Adolf Hitler. Munique, 16 de junho de 1933", diz o texto
Detalhe ampliado da foto: "A querida (e atenciosa?) Rosa Nienau. Adolf Hitler. Munique, 16 de junho de 1933", diz o texto
Foto: Alexander Historical Auctions / BBC News Brasil

"A foto, autografada, é um item que nunca havia sido visto pelo público", disse o leiloeiro Bill Panagopulos ao jornal britânico Daily Mail.

"Hitler era frequentemente fotografado com crianças, para fins de propaganda (de forma a retratar Hitler como um líder amoroso com crianças). O surpreendente da foto é que parece que ele tinha uma afinidade genuína com a menina."

"O amor de Hitler"

Foi o fato de ambos fazerem aniversário no mesmo dia - 20 de abril - que parece ter unido Hitler e Bernile, como a menina era conhecida.

Segundo o site de leilões, ela e sua mãe, Karoline, estavam junto a uma multidão que se reunira na frente da residência de Hitler nos Alpes no aniversário dele em 1933.

Acredita-se que, quando Hitler soube que a menina também fazia anos naquele dia, convidou sua mãe e ela à residência, onde as fotos foram tiradas.

Segundo relatos históricos, a menina viria a se encontrar e a se corresponder por cartas diversas vezes com o "tio Hitler", como ela o chamava, até 1938.

Hitler manteve contato com a menina, a despeito de sua origem judaica
Hitler manteve contato com a menina, a despeito de sua origem judaica
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

Pouco tempo depois, porém, veio à tona a informação de que a mãe de Karoline era judia, fazendo com que Bernile também o fosse, sob os olhos do Estado nazista.

Hitler manteve sua amizade com a menina, a quem enviou uma cópia autografada da fotografia. "A querida (e atenciosa?) Rosa Nienau. Adolf Hitler. Munique, 16 de junho de 1933", diz o texto. Ao que parece, mais tarde a menina agregou detalhes à foto, desenhando flores na imagem preto e branca.

Bernile escreveu a Hitler e a seu assessor, Wilhelm Bruckner, em ao menos 17 ocasiões, entre 1935 e 1938.

Até que Martin Bormann, secretário privado do líder nazista, pediu que ela interrompesse a correspondência. Hitler não gostou da interferência, segundo diria mais tarde ao fotógrafo Hoffmann. "Algumas pessoas têm um verdadeiro talento para arruinar as minhas alegrias", Hitler teria dito a Hoffmann, segundo o livro Hitler Era Meu Amigo, escrito pelo fotógrafo.

Capa do livro 'Hitler era meu amigo', cujo autor é o fotógrafo que fez a imagem do líder com a menina
Capa do livro 'Hitler era meu amigo', cujo autor é o fotógrafo que fez a imagem do líder com a menina
Foto: Alexander Historical Auctions / BBC News Brasil

Triste final

Hoffmann incluiu, em seu livro (publicado em 1955), uma segunda foto de Hitler e Bernile, com a legenda: "o amor de Hitler: ele ficava encantado em vê-la, até que algum intrometido descobriu que ela não era de ascendência ariana".

Um ano depois de Martin Bormann ter rompido o contato entre o líder nazista e a menina, começou a Segunda Guerra Mundial. Quando o conflito terminou, seis anos depois, o Holocausto havia ocorrido, assassinando milhões de judeus.

Rosa Bernile Niernau não sobreviveu à guerra. Morreu de pólio aos 17 anos, em 1943, em um hospital de Munique, uma década depois de seu primeiro encontro com Hitler.

Veja também

Guerra do Iêmen: a batalha que pode ser crucial em um país tomado pela fome

 

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
  • separator
  • 4
  • comentários
publicidade