PUBLICIDADE

Rivaldo Barbosa confirma ida a dentista que atendia milicianos em região comandada pelos Irmãos Brazão

Acusado de envolvimento no caso Marielle, delegado disse em depoimento que quem indicou o profissional foi a madrasta do enteado de Brazão

11 jun 2024 - 11h45
(atualizado às 12h20)
Compartilhar
Exibir comentários
Rivaldo Barbosa, delegado implicado no caso Marielle Franco
Rivaldo Barbosa, delegado implicado no caso Marielle Franco
Foto: Wilton Júnior/Estadão / Estadão

O delegado Rivaldo Barbosa, preso pelo assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, confirmou em depoimento à Polícia Federal (PF) que frequentava um dentista que atendia milicianos de Rio das Pedras, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Rivaldo afirmou à PF que foi ao profissional por indicação da delegada Patrícia Aguiar, madrasta de Kaio Brazão, enteado de Domingos Brazão. As informações são do jornalista Octávio Guedes, da GloboNews. 

Patrícia Aguiar é casada com Anselmo Paiva, pai de Kaio Kroff Paiva. A mãe de Kaio, Alice, é casada com Domingos Brazão.

De acordo com um relatório da PF, o dentista atendia também os milicianos Adriano da Nóbrega, Maurição e Marcus Vinícius, conhecido como Fininho --este apontado pelo delator Ronnie Lessa como um dos responsáveis por fornecer a arma do crime.

Segundo o depoimento, Rivaldo contou ter sido apresentado ao dentista por Patrícia durante um almoço. Ele afirmou ter ido ao consultório do profissional, localizado na Estrada de Jacarepaguá, no máximo quatro vezes para tratamentos de limpeza e obturação. 

Rivaldo, porém, negou ter se encontrado com Adriano da Nóbrega no local. Ao ser questionado sobre a escolha de um dentista em Rio das Pedras, ele respondeu que "precisava ser um dentista indicado". A região é conhecida por ser dominada pelos irmãos Brazão, uma área de atuação da milícia.

"[Sobre] a relação de Rivaldo com os Brazão, foram encontrados pontos de contato entre ambos e intermediários. Foi corroborada a história da ida de Rivaldo a Rio das Pedras com a justificativa de ir ao dentista cuja carta de clientes abrange todos os milicianos da área", assinala a PF em um relatório.

Na avaliação da corporação, o fato de "um delegado de tal estirpe" frequentar Rio das Pedras sem ser incomodado "já chama a atenção". "O período no qual Rivaldo se consultou no local, bem como o breve espaço de tempo sendo atendido pelo profissional denota a verossimilhança dos encontros programados com milicianos no consultório."

A partir dessas declarações de Rivaldo, a Polícia Federal também interrogou o dentista João Marcos Ururahy, que confirmou quatro visitas de Rivaldo ao longo de 2017. Para a PF, essa constatação levanta "no mínimo suspeitas" sobre a relação entre o delegado e a família Brazão.

"Sendo assim, mediante a frequência em tal ambiente em período compatível com a ideação dos atos homicidas, conforme explicitado por Ronnie Lessa em sede de colaboração, se mostra no mínimo suspeito, ante a interação dos milicianos responsáveis pela área com a Família Brazão, notadamente aquele de alcunha Fininho", assevera.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade