0

Bolsonaro telefona para candidatos à presidência do Senado

Aproximação com os líderes do Legislativo será essencial para garantir a aprovação no Congresso de propostas prioritárias do governo federal

31 jan 2019
22h25
atualizado às 22h57
  • separator
  • 25
  • comentários

O presidente Jair Bolsonaro telefonou na noite desta quinta-feira, 31, para os oito senadores que irão disputar o comando do Senado e desejou-lhes "boa sorte" na eleição, marcada para esta sexta-feira. Internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde foi submetido a uma cirurgia para reconstrução do trânsito intestinal, Bolsonaro ligou primeiro para Renan Calheiros (MDB-AL) e, depois, para Davi Alcolumbre (DEM-AP).

"Nesta quinta-feira, véspera de eleição presidencial para o Senado, procuramos diplomaticamente fazer contato com os candidatos desejando-lhes boa sorte. O eleito será importantíssimo para a democracia e o futuro do Brasil", escreveu Bolsonaro, em post no Twitter.

 Bolsonaro, no Planalto  15/1/2019 REUTERS/Ueslei Marcelino
Bolsonaro, no Planalto 15/1/2019 REUTERS/Ueslei Marcelino
Foto: Reuters

Mesmo com o discurso oficial de que se mantém distante da disputa no Congresso, o presidente tentou fazer um gesto de aproximação porque precisa do Legislativo para aprovar projetos considerados prioritários, como a reforma da Previdência. A ordem de Bolsonaro foi para que a equipe não escancarasse suas preferências na eleição da Câmara e do Senado.

Antes, porém, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, acabou deixando transparecer a divergência com Renan. Nos bastidores, Onyx trabalha pela candidatura de Alcolumbre. "O presidente Bolsonaro ligou, hoje, para todos os candidatos à Presidência do Senado, num gesto de respeito à instituição", afirmou Onyx. Logo em seguida, criticou o Jornal Nacional, da TV Globo. "O JN falou que foi só pro Renam (sic). Fala a Verdade @jornalnacional!"

Renan conseguiu a indicação para ser candidato do MDB após vencer nesta quinta-feira uma queda de braço disputada na bancada do partido com a colega Simone Tebet (MDB-MS), que também queria concorrer. "O presidente me ligou dando um abraço e disse que quer conversar comigo na quarta-feira. Estou rezando pelo pronto restabelecimento dele", comentou Renan.

Estadão
  • separator
  • 25
  • comentários
publicidade