PUBLICIDADE

Guilherme Mazieiro

Sob expectativa de indicar nome ao STF hoje, Lula chama Dino para reunião fora da agenda

Aliados dizem que Lula anunciará seus indicados ao STF e à PGR ainda nesta segunda, antes de embarcar Riad

27 nov 2023 - 09h33
(atualizado às 09h45)
Compartilhar
Exibir comentários
O presidente Lula e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino
O presidente Lula e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil / Perfil Brasil

O presidente Lula (PT) chamou, nesta segunda-feira, 27, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, para uma reunião fora da agenda no Palácio da Alvorada. Nos bastidores do governo há expectativa de que seja anunciados hoje, antes da viagem a Riad, na Arábia Saudita, os indicados para a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e também para comandar a Procuradoria-Geral da República (PGR). Uma fonte do alto escalão do governo, próxima ao presidente, disse à coluna que a decisão já está tomada e o nome de ambos será assinado hoje para serem enviados ao Senado.

A pauta da reunião não foi informada pela Presidência nem pelo Ministério da Justiça. A coluna apurou que participam da reunião o ministro da Secretaria de Comunicação Social (Secom), Paulo Pimenta, e o líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA).

Lula embarcará às 14h para Riad, onde busará investimentos estrangeiros para obras no país, depois seguirá para Dubai onde participará da COP28, a conferência do clima, até o dia 3 de dezembro.

A vaga deixada pela aposentadoria de Rosa Weber está em aberto desde o final de setembro. Desde então, Lula é pressionado por sua base a indicar uma mulher negra ao posto. A primeira indicação feita pelo petista nesta gestão foi do seu ex-advogado, Cristiano Zanin, um homem branco. 

Atualmente, o nome de Dino enfrenta alguma resistência por parte dos senadores, onde precisará ser sabatinado e aprovado na Comissão de Constituição e Justiça antes de ir ao plenário. Em outubro, o Senado rejeitou a indicação do governo para comandar a Defendoria Pública da União (DPU), a decisão incomum para indicações presidenciais acendeu um alerta sobre a articulação política do governo.

Fonte: Guilherme Mazieiro Guilherme Mazieiro é repórter e cobre política em Brasília (DF). Já trabalhou nas redações de O Estado de S. Paulo, EPTV/Globo Campinas, UOL e The Intercept Brasil. Formado em jornalismo na Puc-Campinas, com especialização em Gestão Pública e Governo na Unicamp. As opiniões do colunista não representam a visão do Terra. 
Compartilhar
Publicidade
Publicidade