PUBLICIDADE

Guilherme Mazieiro

PF faz busca e apreensão contra general aliado de Pazuello por ataques do dia 8 de janeiro

Ridauto esteve nos atos do dia 8 e gravou um vídeo na Praça dos Três Poderes; antes foi diretor de logística do Ministério da Saúde

29 set 2023 - 08h15
(atualizado às 10h53)
Compartilhar
Exibir comentários
General da reserva Ridauto durante atos do dia 8 de janeiro, na Praça dos Três Poderes
General da reserva Ridauto durante atos do dia 8 de janeiro, na Praça dos Três Poderes
Foto: Reprodução

A Polícia Federal (PF) cumpriu nesta sexta-feira, 29, um mandado de busca e apreensão contra o general da reserva Ridauto Lúcio Fernandes, que participou dos atos golpistas de 8 de janeiro. Ele é o único alvo operação Lesa Pátria, que chega a 18ª fase. A ordem expedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), foi cumprida em Brasília e houve bloqueio de ativos e valores de Ridauto.

A investigação o considerad executor e possível idealizador dos atos. Ridauto chegou ao topo da carreira militar, foi levado ao Ministério da Saúde durante a pandemia. Aliado do general e então ministro, Eduardo Pazuello, foi diretor do Departamento de Logística entre janeiro de 2021 e dezembro de 2022, até o fim do governo Jair Bolsonaro (PL). Sob responsabilidade de Ridauto esteve a gestão da crise de falta de oxigênio que matou centenas de pessoas no Amazonas, assim como a distribuição de vacinas e assinatura de contratos para aquisição de medicamentos.

Com grande trânsito e respeito no Exército, quando os demais militares que trabalhavam no Ministério da Saúde e o próprio Pazuello o encontrava pelos corredores, batiam continência.

Em nota, a PF afirmou que os danos causados ao patrimônio chegam a R$ 40 milhões. "Os fatos investigados constituem, em tese, os crimes de abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, dano qualificado, associação criminosa, incitação ao crime, destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido. As investigações continuam em curso e a Operação Lesa Pátria se torna permanente, com atualizações periódicas acerca do número de mandados judiciais expedidos, pessoas capturadas e foragidas", comunicou a nota da PF.

Em um vídeo gravado no dia dos ataques, Ridauto aparece com uma camisa amarela na Praça dos Três Poderes e uma bandeira do Brasil amarrada ao pescoço.

"Quero dizer que estou arrepiado aqui. Pessoal acabou de travar a batalha do gás lacrimogêneo. Acreditem, a PM jogou gás lacrimogêneo na multidão urante meia hora. E agora, eles estão aqui na frente, o pessoal está aplaudindo a Polícia Militar. Aplaudindo porque a gente sabe que eles cumpriram ordens, estavama aqui para defender patrimonio", disse.

A coluna não conseguiu contato com a defesa de Ridauto, o espaço está aberto à manifestação.

Fonte: Guilherme Mazieiro Guilherme Mazieiro é repórter e cobre política em Brasília (DF). Já trabalhou nas redações de O Estado de S. Paulo, EPTV/Globo Campinas, UOL e The Intercept Brasil. Formado em jornalismo na Puc-Campinas, com especialização em Gestão Pública e Governo na Unicamp. As opiniões do colunista não representam a visão do Terra. 
Compartilhar
Publicidade
Publicidade