0

Após debates polêmicos, Doria e França evitam ataques

Candidatos do PSDB e PSB discutiram sobre ampliação de creches, saúde, saneamento básico e segurança pública

23 out 2018
19h59
atualizado às 20h25
  • separator
  • comentários

Os candidatos ao governo de São Paulo, João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB) realizaram um debate mais 'propositivo' na noite desta terça-feira, 23, no SBT, deixando de lado o tom beligerante dos encontros anteriores neste segundo turno na Band e na RedeTV!.

Doria foi o primeiro a estender a mão. No início do encontro, ele disse ter certeza que o debate seria "altivo, propositivo, valorizando a proposta dos dois candidatos". França consentiu.

Debate entre os candidatos ao governo de São Paulo, Márcio França e João Doria
Debate entre os candidatos ao governo de São Paulo, Márcio França e João Doria
Foto: Marivaldo Oliveira / Código19 / Estadão Conteúdo

O primeiro bloco discorreu sem embates, com discussões cordiais - e até concordâncias - de propostas sobre ampliação de creches, saúde, saneamento básico e segurança pública.

França ressaltou a experiência administrativa, único momento em que, no primeiro bloco, houve uma alfinetada. "Eu fui prefeito da minha cidade, cumpri meus dois mandatos", disse. Doria não reagiu e propôs programas para a saúde - como ampliar o Corujão da Saúde e a criação do Remédio Rápido.

Ao reivindicarem a paternidade do programa "Empreenda Fácil", Doria chegou a declarar: "Não quero aqui estabelecer a discórdia, mas o empreenda fácil nós estabelecemos conjuntamente". França disse não ver problemas em ceder ideias a prefeituras.

As manifestações da plateia, marca dos debates anteriores, foram contidas logo no início. O mediador do encontro, Carlos Nascimento, comentou que as intervenções do público presente nos encontros passados "ultrapassaram o limite do razoável".

Após Doria responder à primeira pergunta, a claque tucana ensaiou uma salva de palmas e foi logo interpelada por Nascimento. "Manifestações da plateia não estão previstas no script. Não queremos ser mal-educados e retirar as pessoas", afirmou.

Doria critica vídeo que circulou nas redes atribuído a ele

Ao responder pegunta de uma jornalista, Doria condenou mais uma vez um vídeos de sexo que circula nas redes sociais atribuído a ele. O vídeo começou a circular no meio desta tarde e, em pouco tempo, impulsionou a hashtag #doria para o topo da lista de assuntos mais comentados do Twitter em todo o mundo.

No debate, Doria pediu novamente medidas judiciais para descobrir "quem foi o responsável por isso", a exemplo do que fez em vídeo mais cedo divulgado no Twitter. "Não imaginaria que a campanha chegaria a este nível", afirmou.

O tucano também disse que não fazia qualquer acusação ao adversário na disputa, o candidato à reeleição Márcio França e disse repudiar "fake news" sobre qualquer pessoa, independente do partido - citando até os concorrentes ao Planalto neste segundo turno Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

Doria também comentou que acredita que a "legislação eleitoral brasileira precisa mudar" em relação ao uso de redes sociais.

Veja também:

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade