PUBLICIDADE

PL oficializa candidatura de Jair Bolsonaro à reeleição

Partido também chancelou o nome do general da reserva Walter Braga Netto como candidato a vice na chapa

24 jul 2022 - 11h39
(atualizado às 14h28)
Compartilhar
Exibir comentários
Michelle e Jair Bolsonaro em evento do PL
Michelle e Jair Bolsonaro em evento do PL
Foto: Ricardo Moraes / Reuters

O PL oficializou neste domingo, 24, a candidatura do presidente Jair Bolsonaro à reeleição. Também foi chancelado o nome do general da reserva Walter Braga Netto como candidato a vice na chapa.

O anúncio foi feito no momento em que Bolsonaro chegou ao palco do ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, onde ocorreu a convenção do partido para o lançamento oficial da campanha eleitoral.

O presidente marcou presença no evento acompanhado de sua esposa, a primeira-dama Michelle Bolsonaro.

Bolsonaro beija Michelle durante lançamento de candidatura à reeleição
Bolsonaro beija Michelle durante lançamento de candidatura à reeleição
Foto: Ricardo Moraes / Reuters

Antes de iniciar seu discurso, Bolsonaro passou a palavra para Michelle, em uma tentativa de aproximar a campanha do público feminino. A primeira-dama focou sua fala na religião, disse que o Brasil estava "mal administrado" e que a luta pela reeleição do marido é um “projeto de libertação” para o País.

Na sequência, Bolsonaro falou e repetiu alguns dos ataques que costuma a fazer a governos e países de esquerda. O presidente também voltou a criticar o Supremo Tribunal Federal (STF) e seus ministros, a quem se referiu indiretamente como "surdos de capa preta", e recebeu apoio do público, que vaiou a Corte e entoou: "Supremo é o povo". 

Bolsonaro incentiva vaias ao STF durante discurso:

"Estes poucos surdos de capa preta têm que entender o que é a voz do povo. Tem que entender que quem faz as leis são o Poder Executivo e o Legislativo. Tem que jogar dentro das quatro linhas das constituição", acrescentou.

Bolsonaro diz que ministros do STF são 'surdos de capa preta':

Convocação para 7 de setembro 

Bolsonaro também convocou seus apoiadores a "irem às ruas pela última vez" no dia 7 de setembro em discurso durante a convenção do PL.

"Nós - militares - juramos dar a vida pela pátria. Todos vocês aqui juraram dar a vida pela sua liberdade. Esse é o nosso Exército, Braga Netto, o povo. Um Exército que não admite corrupção, não admite fraude, quer respeito e vai ter. É um exército com 210 milhões de pessoas. Não ousem tocar na liberdade do meu povo", afirmou.

"Nós não vamos sair do Brasil. Nós somos a maioria, nós temos disposição para luta. Convoco todos vocês agora para que todo mundo, no 7 de setembro, vá as ruas para a última vez. Vamos às ruas pela última vez".

Também marcaram presença no evento ministros do governo, parlamentares e o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que recebeu elogios de Bolsonaro em sua fala.

Bolsonaro exalta Arthur Lira em discurso no RJ:

Além de Lira, outros convidados de destaque foram o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), um dos filhos do presidente, o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), o ex-ministro da Infraestrutura e candidato em São Paulo Tarcísio de Freitas, o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, o atual chefe da pasta, Marcelo Queiroga, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, o ministro da Justiça, Anderson Torres, a ex-ministra da Agricultura Tereza Cristina, o advogado Frederick Wassef e parlamentares como Bia KicisCarla Zambelli Daniel Silveira, condenado pelo STF a prisão por ameaças ao STF e agraciado com indulto de Bolsonaro, que foi ovacionado pelo público.

O PL esperava 10 mil pessoas na convenção, mas o estádio, que tem capacidade máxima de 11.800 pessoas, não estava lotado.

* Com informações da Reuters e Estadão Conteúdo

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade