3 eventos ao vivo

Eleitos, catarinenses devem completar 48 anos de mandatos

Vereadores há 44 anos, Orvino Coelho de Ávila (PSD) conquistou a prefeitura de São José e Nirdo Artur Luz (PSD) vai para o 11º mandato na Câmara Municipal de Palhoça.

18 nov 2020
05h10
atualizado às 08h05
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Os dois políticos com mandatos mais longevos do País venceram as eleições e devem completar 48 anos de mandatos consecutivos, em Santa Catarina. Vereador há 44 anos, Orvino Coelho de Ávila (PSD), de 65 anos, venceu as eleições para prefeito de São José, cidade de 250 mil habitantes, na região metropolitana de Florianópolis. Em Palhoça, cidade vizinha de 175 mil moradores, o vereador Nirdo Artur Luz (PSD), o Pitanta, de 66 anos, há 44 na Câmara Municipal , foi o mais votado e vai para o 11.o mandato.

Com 66 anos de idade e há 44 anos na Câmara Municipal de Palhoça (SC), Nirdo Artur Luz (PSD), o Pitanta, foi o candidato a vereador mais votado e vai para o 11.o mandato
Com 66 anos de idade e há 44 anos na Câmara Municipal de Palhoça (SC), Nirdo Artur Luz (PSD), o Pitanta, foi o candidato a vereador mais votado e vai para o 11.o mandato
Foto: Arquivo Pessoal

Os dois políticos têm o maior tempo de mandatos eleitorais no país, segundo a União de Vereadores do Brasil (UVB). Orvino disputou a prefeitura com outros sete candidatos e se elegeu com 26.897 votos, 26,57% dos votos válidos. Depois de 44 anos como vereador em mandatos consecutivos, ele acabou cedendo à pressão que vinha recebendo de correligionários para concorrer a prefeito. Sua vitória foi festejada na cidade. "Vou retribuir com muita dedicação a mais essa demonstração de confiança. Estou com muita disposição para honrar nosso compromisso com o futuro da cidade", disse.

Na véspera da eleição, Orvino testou positivo para o novo coronavírus e foi obrigado a manter o isolamento, apesar de ter apresentado apenas sintomas leves. Ele teve o apoio da atual prefeita, Adeliana Dal Pont (PSD), que já foi reeleita. O vereador Pitanta recebeu 2.222 votos e, conforme a tradição local, por ser o mais votado, deve assumir a presidência da Câmara Municipal. Ele também pegou a covid-19 durante a campanha, mas se recuperou. "Agradeço a confiança dos meus eleitores e mais uma vez vou trabalhar para honrar os votos que me deram", disse.

Os dois políticos tinham, até esta eleição, trajetórias parecidas. Ambos foram eleitos para os respectivos mandatos de vereador em 1976. Na primeira eleição, Pitanta concorreu pela Arena, partido do regime militar. Esta é a sexta eleição em que ele é o vereador mais votado. Ávila, por sua vez, ganhou a primeira eleição com 21 anos, tornando-se o vereador mais jovem do Brasil na época. Em três eleições ele foi o mais votado. Os dois políticos longevos não têm planos de encerrar a carreira. "Tenho disposição para continuar trabalhando pela cidade por muito tempo ainda", disse Pitanta.

Veja também:

Árvore cai e interdita rua no Bairro Santa Felicidade
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade