PUBLICIDADE

USP libera volta presencial, mas faculdades decidem retomar aulas no câmpus só em 2022

Direito, Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) e USP Leste optaram por manter atividades remotas

4 out 2021 17h03
| atualizado às 19h49
ver comentários
Publicidade

Uma das mais importantes universidades do País, a Universidade de São Paulo (USP) anunciou que, após um ano e meio, estava preparada para o retorno presencial nesta segunda-feira, 4, mas as principais unidades optaram por cronogramas com retomada apenas para 2022, como as faculdades de Direito, de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), e a USP Leste. A Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) vai manter as aulas remotas até o fim do ano e a Escola Politécnica (Poli) vai voltar em novembro.

Em nota, a USP informou que a Reitoria "definiu as diretrizes gerais" para a retomada presencial, mas que "as Unidades de Ensino adotaram ações de acordo com suas especificidades". Nesta manhã, o Estadão esteve na USP, localizada no Butantã, na zona oeste da capital, e encontrou apenas funcionários e os tradicionais praticantes de atividade física que circulam pelo local.

No Instituto de Matemática e Estatística (IME) e Escola Politécnica, servidores informaram que as aulas presenciais ainda não tinham voltado e não sabiam a previsão para retorno. Por meio da assessoria, o IME informou que as aulas remotas serão mantidas até o fim do semestre. Já a Poli disse que a retomada em 22 de novembro.

A reportagem também foi à Faculdade de Direito, no centro da cidade, onde as aulas de graduação e pós-graduação não serão retomadas neste semestre. Diretor da unidade, Floriano Marques Neto disse ao Estadão que a decisão se deve a três motivos principais. "Primeiro porque as turmas de Direito são muito grandes. Não consigo comportar 120 alunos em uma sala com distanciamento", disse o diretor.

"O segundo motivo é que a gente estima que grande parte dos alunos só vai completar o esquema vacinal em outubro. Então, o retorno só poderia ser feito bem no fim do semestre, já na fase das provas, o que não se justifica. Por fim, o terceiro ponto é que 40% dos alunos são de fora da cidade de São Paulo. É muito difícil conseguirem se mobilizar para alugar apartamento já no fim do ano", completou Marques Neto.

O diretor explica que, por outro lado, os serviços administrativos foram sendo retomados desde 23 de setembro e a faculdade foi aberta aos alunos a partir de desta segunda. Com isso, os estudantes podem usar a biblioteca, fazer reuniões presenciais com orientadores, participar de grupos de estudo e de projetos de extensão, entre outras atividades. "No dia 14 de março do ano que vem começa o ano letivo totalmente presencial, esperamos que a situação melhore até lá", disse o diretor da Faculdade de Direito.

A USP Leste informou que a Escola de Artes, Ciências e Humanidades vai realizar apenas aulas práticas presencialmente, mas que o retorno será somente em 2022.

A FFLCH já tinha se posicionado sobre a manutenção do modelo remoto na segunda quinzena de agosto. "As aulas teóricas de graduação e pós-graduação continuarão de modo remoto até o final do segundo semestre letivo de 2021. A faculdade realizará, com os devidos assessoramentos, um levantamento de necessidades de médio prazo para a readequação de espaços."

A faculdade comunicou ainda que o retorno presencial dos centros de pesquisa, biblioteca e laboratórios, assim como o trabalho técnico-administrativo, será feito de forma gradativa "e comum acordo entre os diferentes setores envolvidos, atendendo às especificidades de cada setor e evitando a compulsoriedade".

Unicamp só fará 'retomada completa das aulas presenciais' em 2022

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) informou em nota que a "retomada completa das aulas presenciais" está prevista para o primeiro semestre de 2022. No dia 13 de setembro deste ano, segundo a instituição, ocorreu apenas o retorno de docentes e funcionários da Unicamp.

Como requisito, eles deveriam ter completado o esquema vacinal contra a covid-19 há pelo menos 14 dias, o que também será exigido dos alunos. "As aulas presenciais recomeçarão somente após a imunização completa de todos os estudantes e divulgação das normas para o regresso da comunidade discente", explicou a Unicamp

Unesp recorre a indicadores

Com 24 câmpus espalhados por todo o Estado, a Universidade Estadual Paulista (Unesp) está recorrendo a indicadores pré-determinados por um comitê da instituição para planejar o retorno às aulas presenciais. Os parâmetros foram divulgados pela universidade no final de agosto e entraram em vigor a partir do início de setembro, quando algumas unidades retomaram parte das atividades administrativas presenciais.

O plano de reorganização das atividades acadêmicas define que dois indicadores da região onde cada câmpus está situado devem ser analisadas semanalmente: a taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), que para o avanço nas etapas deve estar abaixo de 60% por 14 dias consecutivos, e a taxa de reprodução de casos (Rt), que deve ser menor do que 1,0.

Atendendo às premissas estabelecidas, e também a determinações sanitárias da Unesp, que envolvem uso de máscaras, distanciamento social e esquema vacinal completo contra a covid-19, as unidades podem avançar de uma etapa a outra do plano de retomada em um intervalo de duas semanas. Abaixo, estão as limitações por área em cada uma das quatro etapas definidas pelo comitê:

  • Etapa A: administrativa operacional (20%), pesquisa (20%);
  • Etapa B: administrativa operacional (35%), pesquisa (50%), graduação (35%), pós-graduação (35%), extensão (20%);
  • Etapa C: administrativa operacional (70%), pesquisa (70%), graduação (70%), pós-gradução (70%), extensão (40%);
  • Etapa D: administrativa operacional (100%), pesquisa (100%), graduação (100%), pós-graduação (100%), extensão (100%).

Neste momento, o único dos 24 câmpus que não atende aos critérios — e que, portanto, não pode avançar a uma etapa seguinte — é o da cidade de Registro, que fica situada em uma região cuja taxa de reprodução é de 1,07 neste momento. Ao mesmo tempo, as unidades que cumprem os critérios podem escolher se manter em uma mesma etapa por mais tempo.

"A retomada das atividades presenciais está sendo feita de maneira gradual e segura, de acordo com as realidades epidemiológicas regionais e com o plano letivo elaborado pelas coordenações dos cursos de graduação, sem uma data única para todas as 34 unidades universitárias", informou a Unesp, acrescentando que as aulas práticas dos cursos de saúde voltaram ainda em 2020. A instituição não especificou, contudo, quais outros câmpus já retomaram atividades.

Estadão
Publicidade
Publicidade