PUBLICIDADE

SP: estudantes e professores fazem protesto na reitoria da Unesp

A mobilização reúne alunos e funcionários das três universidades estaduais, que cobram isonomia nos benefícios e mais investimentos

27 jun 2013 - 11h42
(atualizado às 13h26)
Ver comentários

Um grupo de alunos ocupou na manhã desta quinta-feira a entrada da reitoria da Universidade Estadual Paulista (Unesp), na região central de São Paulo. A mobilização de professores, estudantes e funcionários das três universidades estaduais do Estado - Unesp, USP e Unicamp - começou por volta das 9h em frente ao prédio da reitoria.

De acordo com a assessoria da universidade, o protesto era pacífico até por volta das 11h. O Fórum das Seis (que congrega as entidades representativas de professores, estudantes e funcionários das três instituições), informou que a situação ficou tensa quando os alunos começaram a entrar no prédio, mas não houve confronto com a equipe de segurança.

Os manifestantes protestam pela isonomia de investimentos nas universidades. Um dos pedidos é de aumento no vale-alimentação para os professores da Unesp, que ganham R$ 500 mensais. Na Unicamp, o benefício é de R$ 720, e na USP, de R$ 690.

Segundo o fórum, a maior adesão à mobilização é de professores e estudantes da Unesp, que estão em greve desde o dia 3 de junho. A paralisação atinge 14 das 34 unidades da instituição.

O movimento grevista foi acertado em assembleia realizada no dia 27 de maio. A pauta inclui, além das críticas ao Programa de Inclusão com Mérito no Ensino Superior Público Paulista (Pimesp) - política de cotas proposta pelo governador Geraldo Alckmin em parceria com os reitores das universidades estaduais -, temas como permanência estudantil (moradia, restaurante universitário e bolsas) e reajuste salarial de 11% para docentes e servidores.

Manifestação na Assembleia Legislativa
Para a tarde desta quinta-feira, a partir das 14h, o Fórum das Seis agendou um novo ato na Assembleia Legislativa (Alesp). O objetivo é protestar pela ampliação dos recursos para a educação, incluindo mais verbas para as três universidades estaduais e para o Centro Paula Souza.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade