PUBLICIDADE

Enem 2021: Responsável pela realização do exame no MEC é exonerado

O coronel aviador Alexandre Silva era diretor de avaliação básica no Inep e estava desde março no cargo

27 mai 2021 08h21
ver comentários
Publicidade

Em meio a uma crise para conseguir realizar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ainda este ano, o diretor da área responsável pela prova, Alexandre Gomes da Silva, foi exonerado nesta quarta-feira, 26. O coronel aviador havia assumido o cargo há pouco mais de dois meses e sofria críticas por não ter experiência em avaliação. Até agora, as inscrições para o Enem 2021 não foram anunciadas e servidores têm insistido que o prazo está cada vez mais curto para que a prova aconteça este ano.

Gomes da Silva, conhecido como GD, é próximo do ministro da Educação, Milton Ribeiro. Ele era assessor parlamentar, lotado no gabinete do ministro, antes ser escolhido para o cargo de diretor de Avaliação da Educação Básica do Instituto Nacional de Pesquisas e Estudos Educacionais (Inep). Foi o quinto nomeado para a diretoria mais importante do órgão durante o governo de Jair Bolsonaro.

Segundo o Estadão apurou, o militar não conseguiu lidar com os pedidos da área técnica - que enumera as dificuldades para realizar o Enem e também o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) ainda este ano - e as pressões políticas do Ministério da Educação (MEC). O governo tem insistido que o Enem será feito ainda em novembro, apesar diversos indícios de que há problemas.

O Estadão revelou que o próprio ministro mandou ofício a Paulo Guedes dizendo que não havia orçamento no MEC para fazer a prova. O custo do Enem 2021 foi estimado em R$ 700 milhões. Além disso, um documento interno do Inep afirmava que já havia datas em janeiro para o exame, dias 16 e 23.

Servidores também indicam que se as inscrições não forem abertas até início de junho não haverá tempo para os processos de elaboração, impressão, distribuição e logística da prova. Para serem feitos com segurança, eles precisam durar 170 dias. Como o Estadão também revelou, o Inep ignorou alertas de gestão de risco que mostram índice elevado neste momento para o Enem 2021.

Isenções e edital do Enem 2021

O edital do Enem 2021, necessário para que todos os processo comecem, ainda não foi divulgado. Normalmente, ele sai em março e as inscrições começam em maio. No site do Inep o cronograma da prova, por exemplo, ainda é o de 2020.

Neste momento, o Inep apenas publicou o edital para que os alunos que precisam de isenção da taxa de inscrição e que faltaram ao exame no ano passado façam seus pedidos. Este processo vai até 25 de junho, o que impediria as inscrições de começaram antes disso.

Gomes da Silva, segundo o Diário Oficial, foi exonera "a pedido". O Inep divulgou nesta quarta-feira que ele será substituído por Anderson Soares Furtado Oliveira interinamente, servidor do Inep desde 2013.

Sete ex-ministros da Educação divulgaram em abril uma carta alertando que o Inep estava "em perigo" no governo de Jair Bolsonaro. O texto dizia que o órgão "vem sendo gravemente enfraquecido e isso coloca em risco políticas públicas cruciais para gestores educacionais, professores, alunos, familiares, além de governantes de todos os níveis". A carta também mencionava que o Inep tem sido excluído pelo MEC das discussões sobre avaliação, justamente assunto para qual tem corpo técnico treinado.

Estadão
Publicidade
Publicidade