PUBLICIDADE

Cidade com maior taxa de analfabetismo é do Norte e 36% não sabem ler ou escrever; conheça

Dos 12,8 mil habitantes de Alto Alegre, em Roraima, 4,7 mil com 15 anos ou mais afirmam que não têm habilidades básicas de leitura

17 mai 2024 - 14h05
(atualizado às 15h12)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Prefeitura de Alto Alegre

Alto Alegre, em Roraima, apresenta a maior taxa de analfabetismo do País. Segundo dados do Censo Demográfico 2022, revelados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta sexta-feira, 17, 36,8% da população a partir de 15 anos não sabe ler ou escrever.

De acordo com o IBGE, em uma população de 12.812 habitantes com 15 anos de idade ou mais, 4.733 afirmaram não possuir habilidades básicas de leitura e escrita. Ou seja, cerca de um terço da população da cidade não consegue, por exemplo, redigir um bilhete.

A taxa de analfabetismo no País foi de 7%, e Alto Alegre é a única cidade onde esse indicador ultrapassa os 35% da população. Composta principalmente por indígenas, que representam 60,3% dos moradores, a população do município enfrenta dificuldades em relação à alfabetização.

Ainda de acordo com os dados do IBGE, os indígenas apresentam o maior índice de analfabetismo (64,3%). Entre os moradores brancos, apenas 7,6% não foram alfabetizados.

Alto Alegre é um dos 15 municípios de Roraima, e está localizado na região oeste-noroeste do estado. De acordo com dados da prefeitura, as primeiras ocupações por não indígenas na área datam da década de 1950, quando colonos japoneses começaram a chegar à região.

Cidades com maior taxa de analfabetismo do País

O IBGE também divulgou um recorte que mostra as cidades do País com as maiores taxas de analfabetismo entre a população com 15 anos ou mais. Dos 50 municípios com os piores índices, 48 estão no Nordeste. As únicas exceções são Alto Alegre e Amajari, em Roraima, no Norte.

10 maiores índices de analfabetismo do país (entre pessoas com 15 anos ou mais)

  1. Alto Alegre (RR) 36,81
  2. Floresta do Piauí (PI) 34,68
  3. Aroeiras do Itaim (PI) 34,63
  4. Massapê do Piauí (PI) 34,3
  5. Paquetá (PI) 34,28
  6. Estrela de Alagoas (AL) 34,2
  7. Padre Marcos (PI) 34,01
  8. São Domingos (PB) 33,77
  9. Alagoinha do Piauí (PI) 33,61
  10. Vieirópolis (PB) 32,9
Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade