1 evento ao vivo

Dor nas costas é a doença que mais afasta trabalhadores no Brasil

Ranking do INSS divulgado em 2017 mostra que a enfermidade foi a causa mais comum dos afastamentos

16 jan 2018
14h28
atualizado às 20h39
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

É a partir dos 40 anos que normalmente as pessoas começam a sofrer com as consequências de uma vida repleta maus hábitos com a postura, ao carregar peso, ao usar um colchão de má qualidade ou já gasto, calçados ou até exagerar no uso dos eletrônicos.

No Brasil a dor nessa região do corpo é considerada a doença crônica mais comum, atingindo cerca de 36% da população, segundo dados da Escola Nacional de Saúde Pública. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que 80% da população mundial terá, ao menos, um episódio de dor nas costas durante a vida.

Poucos sabem, mas mudar hábitos simples pode ser a solução para resolver alguns problemas de coluna, como alerta Dr. Mauricio Marteleto, ortopedista, membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT). "A primeira medida para evitar esse tipo de problema é corrigir a postura diante de atividades diárias. É vigiar-se ao pegar peso, levantar da cama, cuidar para sentar corretamente no trabalho etc. Além disso, é importante manter o peso dentro de uma faixa saudável e de acordo com a sua estatura e perfil", ressalta o doutor.

Alongar-se durante o dia também é uma forma de evitar e aliviar as dores, explica o ortopedista. "O alongamento precisa fazer parte do dia a dia das pessoas. É uma tarefa essencial para quem quer prevenir as dores. São medidas simples como movimentar o pescoço da esquerda para direita, fechar e abrir a mão, entre outros", complementa o ortopedista.

Confira abaixo a lista dos principais vilões da coluna e previna-se:

- Postura inadequada durante atividades físicas;
- Calçados inapropriados para cada tipo de piso ou situação;
- Sedentarismo;
- Sobrepeso ou obesidade;
- Ergonomia inadequada no trabalho (mesa e cadeira) e em casa (cozinha, colchão, sofá);
- Excesso de peso nas mochilas ou bolsas;
- Uso excessivo de celular, tablets, notebooks e outros equipamentos eletrônicos que mantém a cervical na mesma posição por muito tempo;
- Sofás, poltronas e cadeiras com espuma gasta;
- Mau posicionamento dos bancos e embreagem ou pedais de carro muito duros;
- Movimentos repetitivos ou posturas que se mantêm por longos períodos, assim como a sobrecarga da região lombar;



Website: http://www.mauriciomarteleto.com.br

Veja também:

As novas armas de Trump para reverter baixa popularidade às vésperas da eleição
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade