PUBLICIDADE

Variante Delta: região metropolitana do Rio reporta 2 casos

Os registros ocorreram nas cidades de Seropédica e São João do Meriti; a linhagem P.1 (Brasil) continua sendo a mais frequente no Estado

6 jul 2021 10h16
| atualizado às 10h35
ver comentários
Publicidade

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Rio confirmou na noite de segunda-feira, 5, os primeiros dois casos de infecção de covid-19 pela variante Delta. Os registros ocorreram nas cidades de Seropédica e São João do Meriti, ambas na região metropolitana.

Ilustração do coronavírus criada pelo Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC) dos EUA
29/01/2020 Alissa Eckert, MS; Dan Higgins, MAM/CDC/Divulgação via REUTERS.
Ilustração do coronavírus criada pelo Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC) dos EUA 29/01/2020 Alissa Eckert, MS; Dan Higgins, MAM/CDC/Divulgação via REUTERS.
Foto: Reuters

Segundo a SES, os casos foram confirmados a partir de amostras registradas nos dias 16 e 17 de junho em um homem de 30 anos e em uma mulher de 22. "Os municípios já foram comunicados e estão realizando a investigação epidemiológica para identificar se são casos importados ou autóctones, ou seja, adquiridos dentro do estado", informou a secretaria.

A SES ressaltou ainda que a identificação da variante Delta se deu graças a um programa de monitoramento genômico feito em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde do Rio e outras cinco instituições de pesquisa. "Importante esclarecer que o sequenciamento do vírus não é um exame de rotina nem de diagnóstico", informando ainda que esse monitoramento é feito em cerca de 800 amostras todos os meses.

Esse monitoramento, segundo a secretaria estadual, demonstram que a linhagem P.1 (Brasil) continua sendo a mais frequente no Estado. Há também registros, mas em número baixo, da cepa VOC B.1.1.7 (Reino Unido). A variante P.2, por sua vez, está em declínio no Rio de Janeiro desde novembro do ano passado.

Apesar da nova variante, não estão sendo consideradas medidas extras de combate à pandemia. "A SES ressalta que, independentemente da cepa do vírus ou linhagem, as medidas de prevenção e métodos de diagnóstico e tratamento da covid-19 seguem os mesmos. Sendo assim, não há alteração nas medidas sanitárias já adotadas", informou a secretaria.

Estadão
Publicidade
Publicidade