3 eventos ao vivo

Na última semana, casos de covid-19 aumentaram em 18 Estados

Curva de casos confirmados da covid-19 voltou a subir no Brasil, com um aumento de 36% em relação à semana anterior

29 jul 2020
22h35
atualizado às 22h44
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Enterro no cemitério da Vila Formosa, em São Paulo (SP) 
16/07/2020
REUTERS/Amanda Perobelli
Enterro no cemitério da Vila Formosa, em São Paulo (SP) 16/07/2020 REUTERS/Amanda Perobelli
Foto: Reuters

A curva de casos confirmados da covid-19 voltou a subir no Brasil, com um aumento de 36% em relação à semana anterior. Pelo menos 18 Estados tiveram crescimento no número de casos na última semana, segundo o Ministério da Saúde.

Os maiores registros se deram em Goiás, Rondônia e Mato Grosso. Já as maiores quedas ocorreram no Amapá e Amazonas. Já nos óbitos, as elevações mais significativas foram percebidas em Rondônia, Amapá e Tocantins. Já as reduções aconteceram no Acre e no Amazonas. Com relação à curva de óbitos, o Brasil segue mantendo uma estabilidade, com novos registros diários elevados.

Questionado sobre o aumento significativo no número de casos na última semana, o secretário de vigilância em saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Correia de Medeiros, explicou que o Brasil tem feito mais testes, o que repercute nesse aumento de casos. "Estamos fazendo um diagnóstico mais precoce dos casos. O programa de testagem aumentou no Brasil nas últimas semanas. Tudo isso contribui para que o número de casos aumente", diz Medeiros.

"A gente apresenta os dados do país todo, mas é como se tivéssemos a pandemia se comportando de forma diferente em distintos locais", completou.

Com 58% dos casos em localidades do interior e 42% nas regiões metropolitanas é possível perceber a interiorização dos novos casos da doença. Por outro lado, os óbitos permanecem sendo registrados, em sua maioria, nas capitais, cerca de 53% dos registros. O interior é responsável por 47% das fatalidades.

Testes

De acordo com o Ministério da Saúde, a média desde o início da pandemia é de 69.608 testes por semana. Apesar da afirmação do secretário de Vigilância em Saúde de aumento da testagem, o boletim epidemiológico mostra uma estabilização a partir da semana epidemiológica de número 26, com oscilação e queda na semana epidemiológica de número 30. Em relação a esta última, os representantes do Ministério argumentaram que 'há dados a serem computados'.

Segundo a pasta, foram distribuídos 5 milhões de testes laboratoriais (RT-PCR) e realizados 1,5 milhão na rede pública. Na rede privada, foram conduzidos 1,13 milhão de exames deste tipo, totalizando 2,67 milhões realizados.

 

Veja também:

Por apoio à CPMF, Guedes vai propor cortar à metade tributos sobre salários
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade