0

Estudo da OMS: Remdesivir não diminui tempo de internação

A medicação antiviral, uma das primeiras a ser utilizada como tratamento para a covid-19, foi um dos remédios utilizados por Donald Trump

15 out 2020
20h51
atualizado às 21h32
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O medicamento remdesivir, da Gilead Sciences, teve pouco ou quase nenhum efeito sobre os tempos de internação ou chances de sobrevivência de pacientes da Covid-19, concluiu um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS). 

A medicação antiviral, uma das primeiras a ser utilizada como tratamento para a Covid-19, foi um dos remédios utilizados para tratar o presidente norte-americano, Donald Trump, após sua infecção pelo coronavírus. 

Ampola do remdesivir em hospital de Hamburgo, na Alemanha
08/04/2020
Ulrich Perrey/Pool via REUTERS
Ampola do remdesivir em hospital de Hamburgo, na Alemanha 08/04/2020 Ulrich Perrey/Pool via REUTERS
Foto: Reuters

Os resultados são do estudo "Solidarity", da OMS, que avaliou os efeitos de quatro tratamentos com medicações que incluíam o remdesivir, a hidroxicloroquina, e a combinação dos medicamentos lopinavir/ritonavir e interferon (utilizada para o tratamento do HIV) em 11.266 pacientes adultos em mais de 30 países. 

O estudo concluiu que os protocolos pareciam ter pouco ou nenhum efeito na redução de mortalidade em 28 dias ou na duração do tratamento hospitalar entre pacientes internados com a Covid-19, disse a OMS nesta quinta-feira. 

Os resultados da pesquisa ainda serão revisados e foram publicados no servidor MedRxiv antes de serem publicados em uma revista científica.

No início do mês, dados de um estudo norte-americano com o remdesivir pela Gilead mostraram que o tratamento cortava o tempo de recuperação da Covid-19 em cinco dias quando comparado aos pacientes que receberam o placebo em um teste envolvendo 1.062 pacientes. 

Veja também:

Os navios gigantescos que a pandemia mandou para o desmanche
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade