PUBLICIDADE

Coronavírus

Empresas se unem a startups para criar tecnologias de proteção

Fabricante de MDF com solução antiviral vai investir R$ 750 milhões para quase dobrar a produção até 2022

7 jun 2021 - 13h02
Compartilhar
Exibir comentários

Boa parte das tecnologias de proteção contra a covid-19 está sendo desenvolvida em parceria com startups de tecnologia. A Guararapes, fabricante de chapas de MDF, se uniu à empresa Nanox Tecnologia e conseguiu agregar proteções antiviral, antimicrobiana e antifúngica de íons de prata à madeira usada principalmente na fabricação de móveis.

O produto está sendo vendido para a indústria moveleira e marcenarias desde meados do ano passado e atualmente responde por 65% da produção do MDF revestido da empresa.

O gerente de marketing da Guararapes, Humberto Oliveira, diz que a empresa opera no limite da capacidade na fábrica de Caçador (SC) e vai investir R$ 750 milhões para quase dobrar a produção. "Até setembro de 2022 vamos ampliar nossa capacidade produtiva de 600 mil metros cúbicos ao ano para 1,14 milhão de metros cúbicos", diz.

Linha de produção de chapas de MDF com antiviral da Guararapes, usadas na produção de móveis
Linha de produção de chapas de MDF com antiviral da Guararapes, usadas na produção de móveis
Foto: Guararapes/ Divulgação / Estadão

A Borkar desenvolveu uma película autoadesiva para ser aplicada em variados itens, como mesas, móveis escolares e elevadores para evitar a contaminação cruzada, quando a pessoa toca uma superfície contaminada e depois tocar a boca, nariz ou olhos. Chamada de ProtectVir, foi lançada em janeiro e, além do mercado interno, está sendo negociada com clientes dos EUA, Equador e Portugal.

Segundo Ramatis Radir, gestor do projeto que recebeu R$ 1,5 milhão em investimento, mesmo que toda a população seja vacinada contra a covid-19 ele acredita que a demanda pelo produto será mantida. "Se não levar adiante pela covid, vamos levar por outras bactérias e fungos em geral", diz ele.

Maior fabricante de tapetes automotivos do País e fornecedora de várias indústrias automotivas, a empresa de Itapecerica da Serra (SP) também desenvolveu o produto na versão antiviral e negocia a venda com as montadoras.

Mudanças globais

Lançado no fim de 2020, o acrílico com aditivo antiviral Nano Power, da Bold, tem características próximas ao normal e a mesma capacidade de moldagem. O Hospital de Jaraguá do Sul (SC), cidade sede da empresa, tem sala toda revestida com o acrílico, informa Ralf Sebold, presidente do grupo.

Acrílico antiviral fabricado pela Bold é mais um produto desenvolvido na pandemia para combate ao coronavírus
Acrílico antiviral fabricado pela Bold é mais um produto desenvolvido na pandemia para combate ao coronavírus
Foto: Bold/ Divulgação / Estadão

Ele foi desenvolvido em parceria com a startup TNS Nanotecnologia e, segundo o executivo, a Bold discute seu uso com os ministérios da Saúde (para hospitais, por exemplo), da Educação (móveis escolares), indústrias e comércio.

"Houve grande mudança no mundo quando ocorreu o ataque de 11 de Setembro nos EUA, com a criação de protocolos de segurança que permanecem até hoje; com a pandemia, que matou muito mais pessoas, esse tipo de proteção também será mantida", diz Sebold.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade