0

Disney anuncia que vai demitir 32 mil funcionários em 2021

Companhia ainda sente o impacto do fechamento de seus parques temáticos por causa da pandemia

26 nov 2020
08h57
atualizado às 09h16
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Walt Disney Co. informou que vai demitir cerca de 32 mil funcionários, principalmente em seus parques temáticos, no primeiro semestre de 2021, em decorrência do impacto da crise causada pela pandemia de covid-19. Um porta-voz da companhia confirmou que os números incluem as 28 mil demissões anunciadas anteriormente.

Visitantes assistem a queima de fogos durante apresentação em parque da Disney, na Flórida. 6/12/2012. REUTERS/Scott Audette
Visitantes assistem a queima de fogos durante apresentação em parque da Disney, na Flórida. 6/12/2012. REUTERS/Scott Audette
Foto: Reuters

Em comunicado, a empresa disse que poderá tomar outras medidas, como buscar financiamento extra, suspender o pagamento de dividendos, reduzir investimentos em filmes e conteúdo de TV ou implementar novas ações para reduzir ainda mais seu quadro de funcionários.

Por causa da pandemia, os parques temáticos da Disney ficaram fechados ou funcionaram com capacidade reduzida durante boa parte deste ano. As operações de navios de cruzeiro da companhia estão suspensas desde o fim do segundo trimestre e suas lojas de varejo também foram obrigadas a baixar as portas.

No início deste mês, a Disney disse que estava liberando trabalhadores adicionais de seu parque temático no sul da Califórnia devido à incerteza sobre quando o Estado permitiria a reaberturado local. Os parques Disney na Flórida e fora dos Estados Unidos reabriram em julho, seguindo medidas de distanciamento social, fazendo testes de coronavírus e obrigando o uso de máscara. A Disneylândia de Paris foi forçada a fechar novamente no mês passado, quando a França impôs um novo bloqueio para combater uma segunda onda de casos de covid-19. Os parques temáticos da empresa em Xangai, Hong Kong e Tóquio permanecem abertos. / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Veja também:

Como as novas variantes do coronavírus podem afetar a vacinação contra covid
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade