4 eventos ao vivo

Alemanha endurece, mas libera Natal com até 10 pessoas

Lockdown parcial será mantido até o dia 20 de dezembro

26 nov 2020
08h00
atualizado às 09h39
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O governo da Alemanha, em concordância com os estados, prorrogou até o dia 20 de dezembro o lockdown parcial que atinge o país para controlar o avanço dos casos e das mortes causadas pelo coronavírus Sars-CoV-2, anunciou a chanceler, Angela Merkel, na noite desta quarta-feira (25).

Merkel anunciou a prorrogação do lockdown parcial até 20 de dezembro
Merkel anunciou a prorrogação do lockdown parcial até 20 de dezembro
Foto: EPA / Ansa

No entanto, as festividades de Natal serão permitidas para grupos familiares e de amigos de até 10 pessoas. "Ninguém deverá passar o feriado de Natal na solidão", disse Merkel ao anunciar o plano.

Porém, as regras de encontro social continuarão mais restritas até o dia 20, com limitação de cinco pessoas dos núcleos habitacionais, excluindo crianças e adolescentes com menos de 14 anos.

"Temos duas mensagens para o povo alemão. A primeira, é um obrigada. Mas, em segundo lugar, informo que as restrições atuais não serão suspensas", disse ainda a chanceler, ressaltando que o "aumento exponencial" de casos foi contido, mas os números diários continuam ainda muito altos.

Nesta quarta-feira, segundo dados divulgados pelo Instituto Robert Koch, foram 18.633 novos casos de Covid-19 em 24 horas, mantendo a média dos últimos dias, mas a quantidade de óbitos bateu recorde desde o início da pandemia, em março deste ano: foram 410 mortes.

"Não podemos estar satisfeitos com esse sucesso parcial. As mortes nos lembram que, por trás das estatísticas, há destinos humanos", pontuou ainda Merkel ao comentar a quantidade de vítimas da doença.

Desde março, a Alemanha - considerado um dos países que melhor gerenciou a crise sanitária na primeira onda no mundo - registra 995.879 contaminações pelo novo coronavírus e 15.210 óbitos na pandemia. .
   

Veja também:

Covid-19: o pesadelo da 2ª onda em plantão de UTI em Londres
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade