2 eventos ao vivo

CoronaVac é 83,5% eficaz, diz estudo de universidade turca

Vacina contra covid-19 está sendo aplicada no Brasil e apontou eficácia geral de 50,38% segundo o Instituto Butantan

3 mar 2021
08h30
atualizado às 08h34
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A CoronaVac, vacina contra covid-19 desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac, tem eficácia de 83,5% com base em resultados finais de um estudo clínico de Fase 3 realizado na Turquia, disse a Universidade Hacettepe nesta quarta-feira, de acordo com a mídia estatal turca.

Caixas com frascos da vacina contra Covid-19 CoronaVac em refrigerador em hospital de Istambul
14/01/2021 REUTERS/Murad Sezer
Caixas com frascos da vacina contra Covid-19 CoronaVac em refrigerador em hospital de Istambul 14/01/2021 REUTERS/Murad Sezer
Foto: Reuters

Segundo a agência de notícias Anadolu, a universidade também informou que a vacina evitou uma hospitalização causada pela covid-19 em 100% dos casos.

A CoronaVac está sendo aplicada nas campanhas de vacinação contra covid-19 da Turquia e do Brasil.

O imunizante foi testado em Fase 3 pelo Instituto Butantan, vinculado ao governo do Estado de São Paulo, que apontou eficácia geral de 50,38%, ao mesmo tempo que o estudo mostrou que a vacina tem eficácia de 78% contra casos leves, que precisam de alguma assistência médica, e de 100% contra quadros graves e moderados da doença, o que significa que ela evitou casos que requerem internação hospitalar.

O Butantan, que está recebendo o insumo farmacêutico ativo (IFA) da CoronVac importado da China e envasando doses da vacina para entrega ao Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, deve divulgar até o final desta semana resultados de estudos de eficácia do imunizante contra a variante de Manaus do coronavírus, que vem sendo apontada como mais transmissível que outras cepas.

Veja também:

'Na pandemia, o governo federal errou muito', diz Kassab
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade