5 eventos ao vivo

Pesquisa associa dengue à falta de coleta de lixo e de água

20 dez 2011
10h32

Pesquisa indica que a falta de abastecimento de água e a não coleta de lixo estão relacionados ao número elevado de casos de dengue. Em 48 municípios com risco de surto da doença neste verão, somente 37,5% das casas têm acesso a saneamento adequado. O levantamento, feito pela Agência Brasil, se baseia em lista do Ministério da Saúde de cidades com risco de surto e em dados de saneamento básico do Censo de 2010.

Dengue: Jarbas diz que sem água população usa potes e barris
Dengue: Jarbas diz que sem água população usa potes e barris
Foto: Divulgação

Uma casa tem saneamento adequado, segundo critérios do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quando dispõe de rede de água, esgoto ou fossa séptica e coleta de lixo direta ou indireta feita por uma empresa. De acordo com o levantamento, em somente 18 cidades com risco de surto, a maioria das casas encontra-se nessa situação. O restante dos municípios enquadra-se em saneamento semiadequado, quando dispõe de pelo menos um dos serviços, ou inadequado, quando não há nenhum dos serviços em pleno funcionamento.

Os municípios com os menores porcentuais de saneamento adequado estão no Norte e Nordeste, as duas regiões com o maior grupo de cidades com chances de surto de dengue. Nas duas regiões, são 39 cidades. Em Buritis (RO), Espigão do Oeste (RO), Mucajaí (RR), Porto Acre (AC), São Raimundo Nonato (PI) e Água Branca (PI), menos de 5% das casas têm saneamento em condição adequada.


Segundo o Ministério da Saúde, a ausência de saneamento facilita o surgimento de criadouros do mosquito. No Norte, 44,4% dos focos de transmissão estão no lixo, no Nordeste, 72,1% são relacionados ao abastecimento de água.


Para o secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Jarbas Barbosa, o pior problema para o combate à dengue é o abastecimento irregular de água porque leva a população a usar caixas d'água, potes e barris. Mal tampados, esses pequenos reservatórios são ideais para o mosquito Aedes aegypti procriar devido à água parada, limpa e em pouca quantidade.

Fonte: DiárioNet DiárioNet
publicidade