0

Rui Costa diz que seu governo não "mantém laços" com bandidos

Afirmação foi feita após presidente dizer que o miliciano capitão Adriano havia sido morto pela "PM da Bahia, do PT"

15 fev 2020
19h37
atualizado às 19h59
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), disse na tarde deste sábado, 15, por meio de sua conta no Twitter, que o governo baiano "não mantém laços de amizade nem presta homenagens a bandidos nem procurados pela Justiça".

Rui Costa (PT), governador da Bahia.
Rui Costa (PT), governador da Bahia.
Foto: Nilton Fukuda / Estadão

Na rede social, o governador disse também que o Estado "não vai tolerar nunca milícias nem bandidagem" e que policiais têm direito de salvar suas próprias vidas quando atacados, "mesmo que os marginais tenham laços de amizade com a Presidência".

A declaração foi dada em duas postagens, em referência às afirmações feitas mais cedo pelo presidente Jair Bolsonaro, no Rio de Janeiro, que apontou a "polícia da Bahia, do PT", pela morte do miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega, o capitão Adriano, no domingo passado no município de Esplanada, a 170 km de Salvador. 

Em 2005, o então deputado estadual e hoje senador Flávio Bolsonaro, filho mais velho do presidente, concedeu a Medalha Tiradentes, mais alta condecoração da Assembleia Legislativa, ao miliciano. Flávio também empregou a mãe e a mulher de Adriano. 

Veja também:

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade