PUBLICIDADE

Política

PL recua e diz que apoiará União Brasil para comandar a Câmara de SP após acordo sobre vice de Nunes

Vereador Isaac Félix (PL) disse na quinta-feira que partido tentaria eleger presidente do Legislativo municipal em 2025

21 jun 2024 - 12h43
(atualizado às 13h36)
Compartilhar
Exibir comentários

A bancada de vereadores do PL recuou da intenção de disputar o comando da Câmara Municipal de São Paulo em 2025 e afirmou nesta sexta-feira, 21, que apoiará o União Brasil na eleição para a Mesa Diretora da Casa. A mudança de posicionamento faz parte do acordo para a indicação de Ricardo de Mello Araújo (PL) como vice do prefeito Ricardo Nunes (MDB) que tentará a reeleição em outubro.

Mello Araújo é uma indicação do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e será confirmado como vice em uma agenda conjunta entre Nunes e o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) às 14h30m desta sexta-feira.

O União Brasil era o único partido da base do emedebista ainda contrário à indicação de Mello, mas cedeu na quinta-feira, 20, após uma reunião entre o prefeito, o atual presidente do Legislativo municipal, Milton Leite (União), e o presidente nacional do partido, Antonio de Rueda (União). Embora a sigla ainda não tenha se manifestado oficialmente, o acordo enterrou a pré-candidatura do deputado federal Kim Kataguiri (União).

Milton Leite diz que não tentará novo mandato, mas quer apoio para eleger sucessor na presidência da Câmara Municipal de São Paulo em 2025 FOTO ALEX SILVA/ESTADÃO
Milton Leite diz que não tentará novo mandato, mas quer apoio para eleger sucessor na presidência da Câmara Municipal de São Paulo em 2025 FOTO ALEX SILVA/ESTADÃO
Foto: ALEX SILVA/ESTADAO / Estadão

Como mostrou o Estadão, o União Brasil colocou como condição para aceitar Mello Araújo a garantia de que Milton Leite terá apoio para eleger um aliado como presidente da Casa no ano que vem. Na quinta, o líder do PL, vereador Isac Félix, disse à reportagem que o partido apresentaria candidato próprio na eleição da Mesa Diretora em 2025 caso conseguisse ter a maior bancada. Ao comentar a pretensão do União, afirmou que "muita água ainda passaria debaixo desse viaduto".

Menos de 24 horas depois, contudo, o PL municipal divulgou nota na qual afirma que houve acerto entre as duas legendas. "A bancada do PL está de acordo com a indicação do coronel Mello Araújo para vice e informa que houve um acordo com o União Brasil, através do presidente da Câmara, Milton Leite, para que o PL caminhe junto com o União Brasil", diz o texto.

"Em 2025 haverá o apoio do PL municipal para o União na eleição da mesa diretora na Câmara Municipal", diz o texto. Essa união é feita para somar forças com o objetivo de reeleger o prefeito Ricardo Nunes", conclui a nota.

Após a divulgação da nota, Nunes inicialmente negou que o texto tivesse relação com a indicação de seu vice, mas depois admitiu que Milton Leite e Rueda pediram apoio caso o União Brasil lance candidato a presidente do Legislativo municipal no ano que vem.

"Esse é um tema que será discutido quando você tiver a composição da Câmara, quantos vereadores cada partido teve na sua eleição e, evidentemente, está ali registrado o interesse do União Brasil de apresentar o nome que pode sim contar com o PL, com o MDB, com os demais partidos. Mas isso é uma questão para ser batido o martelo mais para frente", disse o prefeito.

Milton Leite preside a Câmara desde 2021 no comando da Casa. Para isso, alterou a Lei Orgânica duas vezes e acabou com o limite de reeleições. Ele declarou ao longo dos últimos meses que queria ser vice de Nunes e que não disputaria novo mandato como vereador caso isso não ocorresse.

O vereador tem feito campanha para Silvio Antonio Azevedo, o "Silvão Leite", chefe de gabinete e presidente da escola de samba Estrela do Terceiro Milênio, e Silvio Ricardo Pereira dos Santos, o Silvinho, chefe de gabinete da subprefeitura de M'Boi Mirim, na zona sul da capital paulista. Milton Leite também tem demonstrado proximidade com o vereador Rubinho Nunes (União Brasil), que atualmente é corregedor da Câmara Municipal.

Segundo relatos de parlamentares, o União Brasil também cobrou que o PL e o MDB apoiem o deputado federal Elmar Nascimento (União-BA) para suceder o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP). Oficialmente, Ricardo Nunes nega que o assunto tenha sido debatido.

Outros partidos aliados de Nunes, como o PSD e o Republicanos, também têm candidatos a presidente da Câmara dos Deputados: Antônio Brito (PSD-BA), nome mais ligado ao governo, e Marcos Pereira (Republicanos-SP), este último presidente do partido do governador Tarcísio de Freitas.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade