PUBLICIDADE

Médico que operou Bolsonaro em 2018 vai examinar presidente

Desde a semana passada, o presidente vinha se queixando de uma crise de soluços

14 jul 2021 12h57
| atualizado às 13h06
ver comentários
Publicidade

O médico Antônio Luiz Macedo, responsável por operar o presidente da República Jair Bolsonaro em 2018 após a facada, está a caminho de Brasília para examiná-lo. A informação foi revelada pelo jornal O Globo e confirmada pelo cirurgião ao Broadcast Político.

Presidente Jair Bolsonaro em Brasília
29/06/2021 REUTERS/Adriano Machado
Presidente Jair Bolsonaro em Brasília 29/06/2021 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

Bolsonaro deu entrada no Hospital das Forças Armadas na madrugada desta quarta-feira, 14, para uma série de exames, após sentir dores abdominais.

Em função dos problemas médicos de Bolsonaro, foi cancelada a reunião que estava marcada entre os presidentes dos Poderes Judiciário, Executivo e Legislativo prevista para esta quarta-feira, 14. O encontro com Arthur Lira (Câmara), Rodrigo Pacheco (Senado) e Luiz Fux (Supremo Tribunal Federal) será reagendado.

"O Presidente da República, Jair Bolsonaro, por orientação de sua equipe médica, deu entrada no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, nesta quarta-feira (14) para a realização de exames para investigar a causa dos soluços. Por orientação médica, o presidente ficará sob observação, no período de 24 a 48 horas, não necessariamente no hospital. Ele está animado e passa bem", informou a Secretaria Especial de Comunicação Social, por meio de nota.

Desde a semana passada, o presidente vinha se queixando de uma crise de soluços. O incômodo ficou claro na live semanal da última quinta-feira. Na ocasião, Bolsonaro chegou a pedir desculpas logo no início da transmissão. "Peço desculpas. Estou há uma semana com soluços, talvez eu não consiga me expressar adequadamente nesta live", explicou.

Bolsonaro passou por algumas cirurgias em decorrência da facada da qual foi vítima durante sua campanha eleitoral em 2018. A primeira foi feita ainda na Santa Casa de Juiz de Fora, no interior de Minas Gerais, logo após ser atingido por Adélio Bispo em ato de campanha em 6 de setembro de 2018. Depois, o então candidato foi transferido para o Hospital Albert Einstein e passou a ser acompanhado pelo cirurgião Antonio Luiz Macedo.

Estadão
Publicidade
Publicidade