PUBLICIDADE

Bolsonaro disse que colocaria 'cara no fogo' por Ribeiro e vira meme

Em live em 24 de março, preferiu isentar seu ministro de envolvimento

22 jun 2022 10h34
| atualizado às 15h59
ver comentários
Publicidade

Quando o caso da cobrança de propina no Ministério da Educação veio a público, o presidente Jair Bolsonaro saiu em defesa de Milton Ribeiro. Em live em 24 de março, preferiu isentar seu ministro de envolvimento.

"O Milton, coisa rara de eu falar aqui: eu boto minha cara no fogo pelo Milton", afirmou Bolsonaro, em transmissão ao vivo pelas redes sociais. O presidente ainda repetiu: "Minha cara toda no fogo pelo Milton. Estão fazendo uma covardia contra ele". Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle, eram muito próximos a Ribeiro.

Bolsonaro vira meme após resgate de fala defendendo Ribeiro
Bolsonaro vira meme após resgate de fala defendendo Ribeiro
Foto: Reprodução

Milton Ribeiro foi preso em operação da Polícia Federal deflagrada nesta quarta-feira, 22. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, além de Ribeiro, o pastor Gilmar Santos - ligado ao presidente Jair Bolsonaro - também foi preso. Os dois são investigados em um suposto esquema de ilegalidades no Ministério da Educação (MEC). A PF faz ainda buscas em endereços dos detidos e também de outro pastor citado no esquema, Arilton Moura. Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, Arilton Moura e Gilmar Santos compunham um "gabinete paralelo" suspeito de agilizar liberação de verbas para prefeituras em troca de propina.

Após a operação policial, a fala de Bolsonaro defendendo Ribeiro viralizou e a internet, claro, não perdoou e vários memes começaram a surgir nas redes.

 

Primeira-dama

Durante a live, o presidente afirmou que o ministro já havia levado o caso a conhecimento da Controladoria-Geral da União (CGU) em 2021. A apuração do órgão, no entanto, segundo informação divulgada à época não tinha apurado envolvimento de servidor público. A apuração oficial só foi retomada após as reportagens do Estadão.

Quatro dias depois da live de Bolsonaro, sua mulher Michelle também defendeu a atuação de Ribeiro. "Ainda não tive tempo de ver, mas estou orando pela vida dele. Eu confio muito nele", afirmou a primeira-dama durante evento de filiação dos ministros Tarcísio de Freitas (Infraestrutura) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) ao Republicanos, em Brasília.

Questionado por jornalistas se a saída de Ribeiro causava algum tipo de constrangimento ao governo, Michelle disse que o ex-ministro era honesto. "Deus sabe de todas as coisas e vai provar que ele é uma pessoa honesta, justa, fiel e leal." A primeira-dama declarou ainda que conversa com Ribeiro todos os dias. "Amo a vida dele."

Estadão
Publicidade
Publicidade