PUBLICIDADE

Polícia

PM reformado mata idoso a tiros durante audiência de negociação por dívida de R$ 630

O crime ocorreu no Procon-MS, que suspendeu os atendimentos até quarta-feira, 15, após o ocorrido

14 fev 2023 - 12h02
(atualizado às 16h23)
Compartilhar
Exibir comentários
A vítima foi Antônio Caetano de Carvalho, de 67 anos
A vítima foi Antônio Caetano de Carvalho, de 67 anos
Foto: Reprodução/Facebook

Um idoso foi morto a tiros por um policial militar reformado na manhã desta segunda-feira, 13, durante uma audiência de negociação por uma dívida de R$ 630 na sede do Procon, em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Antônio Caetano de Carvalho, de 67 anos, foi a óbito no local.

Segundo a Polícia Civil, o PM reformado José Roberto de Souza teria se exaltado por não concordar com o valor pedido pela vítima, se levantado da cadeira, sacado a arma que estava em sua cintura e efetuado três disparos contra a vítima, sendo dois tiros na cabeça e um tiro na nuca.

Logo depois do incidente, ele fugiu do local. Foi realizada perícia no local e a polícia encontrou muito sangue ao chão, além de também ter encontrado vestígios, como estojo e projetil de arma de fogo, a princípio, compatíveis com calibre 380. 

A vítima era gerente de uma revendedora de peças de Hilux e SW4. Segundo a Polícia Militar informou ao Terra, o suspeito de ter realizado os disparos é policial militar da reserva desde 2011, e reformado (aposentado) em 2015. De acordo com o Diário Oficial do Estado, ele foi reformado ex-officio, por incapacidade definitiva.

"Em cumprimento à legislação vigente, a arma cautelada pelo policial foi devolvida ao estado antes deste passar à inatividade. Como se trata de crime comum, o caso foi encaminhado à Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário - DEPAC Centro", acrescentou a corporação.

Nas redes sociais, amigos lamentaram a morte de Antônio. "Como explicar que uma pessoa com feitos maravilhosos para Campo Grande, uma história de vida empreendedora, com atuação em diversos segmentos sociais e comerciais, pode ser covardemente assassinada dentro de uma instituição pública, como o Procon? Estou falando do Antônio Caetano de Carvalho, simplesmente Caetano, pessoa que tive o privilégio de conhecer há 45 anos. Que Deus o receba na luz amigo", escreveu um colega dele. 

"Só agora depois de um certo tempo é que resolvi me despedir de você meu irmão Caetano, ainda não acredito que tiraram sua vida por uma coisa banal e dentro de um órgão publico ondo deveria haver segurança", publicou outro amigo. 

O Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) suspendeu os atendimentos até quarta-feira, 15, após o ocorrido e lamentou o crime por meio das redes sociais. "O Procon-MS manifesta o mais profundo pesar pelo falecimento do Sr. Antônio Caetano de Carvalho. Nesse momento doloroso, nossa solidariedade à família e aos amigos. Descanse em paz, Caetano", postou o órgão.  

O Governo do Estado de Mato Grosso do Sul também lamentou o ocorrido e se solidarizou com familiares e amigos da vítima. "A exigência do rigor da lei nas investigações e punição do responsável é o compromisso que assumimos com a sociedade sul-mato-grossense. Por fim, reforçamos que daremos todo suporte psicológico necessário aos servidores do órgão, e ressaltamos que haverá apuração para que haja melhora imediata na segurança dos atendimentos que retornarão ao normal na próxima quarta-feira (15)", destacou.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade