PUBLICIDADE

Polícia

Marido e sogro de cabeleireira desaparecida teriam mandado matar seis pessoas da mesma família

Motivação do crime seria uma grande quantia em dinheiro; marido e sogro de uma das vítimas não foram localizados ainda

17 jan 2023 - 23h11
(atualizado às 23h12)
Compartilhar
Exibir comentários
Entre os desaparecidos, estão Elizamar e os três filhos
Entre os desaparecidos, estão Elizamar e os três filhos
Foto: Reprodução/Redes Sociais

Um dos suspeitos presos pelo desaparecimento de oito pessoas da mesma família, no Distrito Federal, confessou à Polícia Civil que foi contratado por Thiago Gabriel Belchior de Oliveira, marido da cabeleireira Elizamar Silva, e Marcos Antônio Lopes de Oliveira, sogro dela, para matar a família.

De acordo com o jornal Metrópoles, a informação foi confirmada pelo delegado-chefe da 6ª DP (Paranoá), Ricardo Viana, na noite desta terça-feira, 17, em uma entrevista à imprensa. A autoridade informou que a motivação do crime seria uma grande quantia em dinheiro, que era de Elizamar e de Renata, esposa de Marcos.

Após ser preso, Horácio Carlos Ferreira Barbosa, 49 anos, contou em depoimento à Polícia que Thiago encomendou a morte da esposa por R$ 100 mil e ficou responsável por atrair a mulher para a casa do pai, no Paranoá. No entanto, quando ela chegou ao local, percebeu que a cabeleireira estava com os três filhos e mudou os planos.

O marido os levou do local e os amordaçou. Ele tentou acalmar as crianças, mas, conforme aponta a reportagem, a situação saiu de controle e o homem asfixiou os quatro. Já Renata Juliene Belchior, de 52, e Gabriela Belchior de Oliveira, de 25 anos, mãe e irmã de Thiago, foram mantidas pelos autores em um cativeiro.

Marcos teria roubado o celular da mulher e da esposa e respondido a mensagens de texto se passando por elas. No local, elas estavam vendadas e eram ameaçadas constantemente. Os corpos de ambos seriam os dois encontrados dentro de outro carro, em Unaí, em Minas Gerais.

Foto: Reprodução/Polícia Civil

De desaparecidos a suspeitos

A polícia recuperou imagens de segurança que mostram o momento em que o primeiro homem preso, Gideon Batista de Menezes, 55 anos, compra um galão de gasolina. As autoridades suspeitam que seja para queimar o corpo da cabeleireira e dos três filhos.

“Ele [Horácio] relatou que o Thiago junto com Marcos encomendou ele e o Gideon para que fizessem os crimes. Ele recebeu R$ 100 mil. Apreendemos R$ 15 mil que seria de pagamento”, revelou Viana.

Antes, Thiago e Marcos eram tidos como desaparecidos, mas agora eles são tratados como suspeitos. A polícia trabalha com a possibilidade dos dois terem fugido com uma mulher, identificada como Cláudia, que seria amante do sogro de Elizamar, e a filha dela, de nome Ana Beatriz.

A motivação para o crime seria a venda de um terreno de Renata, no valor de R$ 400 mil, além de R$ 100 mil que eram de Elizamar. Deste montante, R$ 100 mil teriam sido usados para pagar os criminosos. O caso segue em investigação.

Relembre o caso

As investigações tiveram início no último sábado, 14, quando o filho mais velho de Elizamar Silva, de 39 anos, comunicou o sumiço dela na sede da 33ª DP (Santa Maria). A mulher saiu com o carro na companhia dos três filhos, um casal de gêmeos, de 6 anos, e de uma outra criança, de 7, que também desapareceram.

Ela foi vista pela última vez na madrugada de sexta-feira, 13, na região do Paranoá e do Itapoã, quando saía do condomínio onde a sogra morava. O carro dela foi localizado na manhã de sexta, 13, carbonizado, em uma rodovia estadual de Cristalina, em Goiás, onde havia quatro cadáveres no seu interior, todos carbonizados.

Na noite de domingo, 15, uma segunda ocorrência foi registrada na sede da 33ª DP, para noticiar o desaparecimento de mais quatro pessoas da mesma família: o companheiro de Elizamar, de 30 anos; o pai dele, de 54 anos; a mãe dele, de 52 anos; e a irmã dele, de 25 anos.

O carro do pai do companheiro de Elizamar foi encontrado carbonizado na região de Unaí, em Minas Gerais, onde foram localizados dois cadáveres no seu interior, também carbonizados.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade