1 evento ao vivo

MPF denuncia Sara Giromini por ameaça e injúria a Moraes

Se condenada, Sara terá que indenizar Moraes em até 10 mil reais.

17 jun 2020
11h01
atualizado às 12h19
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Ministério Público Federal denunciou nesta quarta-feira (17) a extremista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, pelos crimes de injúria e ameaça contra o ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes.

Manifestantes ocupam parte do prédio do Congresso Nacional em ato a favor do presidente Jair Bolsonaro
13/06/2020 REUTERS/Adriano Macha
Manifestantes ocupam parte do prédio do Congresso Nacional em ato a favor do presidente Jair Bolsonaro 13/06/2020 REUTERS/Adriano Macha
Foto: Reuters

Depois de ser alvo do inquérito do STF que investiga a produção e distribuição de fake news no país, Sara fez vídeos ameaçando colocar seus seguidores para perseguir o ministro e disse que queria "trocar socos" com ele.

Se condenada, Sara terá que indenizar Moraes em até 10 mil reais. A PGR, no entanto, não acatou o pedido do ministro de enquadrá-la na Lei de Segurança Nacional. De acordo com o procurador Frederick Lustosa, Sara "não impediu de fato o livre exercício da judicatura do ministro, nem da Suprema Corte de maneira geral" e não havia razão para o enquadramento.

Organizadora do grupo de extrema-direita 300 do Brasil, que defende o bolsonarismo, Sara foi presa temporariamente pela Polícia Federal na última segunda-feira, dentro de outro inquérito, o que investiga o financiamento de atos com cunho antidemocrático.

Veja também:

Lava Jato prende secretário de Transportes de SP por supostos desvios na Saúde
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade