PUBLICIDADE

Cidades

Testemunhas contestam versão de PM preso por matar homem com tiro no peito em SP: 'Covardia'

Matias Menezes Caviquiole foi morto durante uma abordagem no Capão Redondo, Zona Sul de São Paulo. O PM responsável pelo tiro segue preso

7 nov 2023 - 18h42
Compartilhar
Exibir comentários
Policial atira e mata homem rendido durante abordagem em São Paulo:

Testemunhas contestam a versão apresentada pelo policial militar investigado por matar o ajudante de pedreiro Matias Menezes Caviquiole, 24, com um tiro no peito. Matias morreu após se render em uma abordagem no Capão Redondo, na Zona Sul de São Paulo. Mantido preso pela PM, o soldado Dernival Santos Silva alega que o disparo foi acidental. Ele foi indiciado por homicídio culposo.  

O caso aconteceu na comunidade Morro do Piolho, no último domingo, 5. Imagens gravadas por testemunhas mostram a ação da PM e o momento em que Matias ergue as mãos, de costas para Dernival, e é baleado ao se virar para o soldado. O militar afirmou ter sacado a arma após a vítima derrubar seu cassetete, e que acabou disparando por acidente.  

Em nota ao Terra, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) afirma que Matias interveio durante uma abordagem de policiais militares a dois homens em uma motocicleta sem placa (confira a nota completa abaixo). Uma testemunha, ouvida pela TV Globo e que preferiu não se identificar, contesta a versão e afirma que o ajudante de pedreiro não tentou interferir na ação da PM.

"Eles alegaram que o Matias foi separar, mas o Matias não foi separar ninguém. A Rocam viu ele de frente, achou que ele 'tava' junto com o moleque da moto, já desceu da moto agredindo ele, onde ele se rendeu, levantou a mão pra cima, no vídeo mesmo vê que ele tá rendido, com a mão 'pra' cima, e o 'polícia', na covardia, dá um tiro nele", disse a testemunha ouvida pela reportagem. 

A mãe de Matias, Jocélia Menezes dos Santos, também se manifestou após o caso e lamentou a morte do filho: "Olha, isso comoveu todo mundo. Do jeito que o menino era... e a polícia fazer aquilo com meu filho". O rapaz foi sepultado na tarde da última segunda-feira, 6, em um cemitério de Embu das Artes, na região metropolitana de São Paulo. 

Ajudante de pedreiro é morto durante abordagem da PM em SP
Ajudante de pedreiro é morto durante abordagem da PM em SP
Foto: Reprodução/Redes Sociais

PM indiciado por homicídio culposo

Após a ocorrência, o soldado Dernival acabou preso e passou por audiência de custódia, segundo a SSP. Ele foi indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Ele foi solto após o pagamento de fiança, no valor de R$ 1,3 mil, para responder em liberdade. Confira a nota enviada pela SSP.  

"A Polícia Civil, por meio do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), investiga um caso de homicídio culposo envolvendo um policial militar que aconteceu na manhã do último domingo (5), na Rua Olímpio Rodrigues de Araújo, no Capão Redondo, zona sul da Capital. Na ocasião, policiais militares abordavam uma dupla flagrada em uma motocicleta sem placa, quando um outro homem interveio e tentou soltar os suspeitos. Ele fugiu em seguida, mas foi alcançado por outro policial. Quando o PM fazia a abordagem, houve um disparo de arma de fogo e o homem foi atingido. O policial acionou o resgate, mas o homem morreu no local. O policial militar envolvido no caso foi preso e encaminhado para audiência de custódia. Ele foi liberado pelo Poder Judiciário e responderá pelo ocorrido em liberdade".

No entanto, o Terra apurou que após ser solto, Dernival acabou detido pela PM e segue preso preventivamente no Presídio Romão Gomes, na Zona Norte de São Paulo, enquanto aguarda pelos procedimentos de apuração do crime pela própria corporação. A Polícia Militar também informou que abrirá um inquérito para investigar a conduta do soldado. A arma dele foi apreendida para perícia da Polícia Técnico-Científica. 

Jovem filma momento em que é morta por namorado Jovem filma momento em que é morta por namorado

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade