PUBLICIDADE

Polícia Civil identifica as 10 vítimas de Capitólio

Os dez mortos estavam hospedados em uma pousada em São José da Barra (MG)

10 jan 2022 09h05
| atualizado às 14h38
ver comentários
Publicidade
Parentes de vítimas da tragédia de Capitólio na porta do IML em Passos, interior de Minas Gerais
Parentes de vítimas da tragédia de Capitólio na porta do IML em Passos, interior de Minas Gerais
Foto: JOEL SILVA/FOTOARENA / Estadão

A última vítima fatal da tragédia de Capitólio (MG) foi identificada no início da tarde desta segunda-feira, 10, segundo informações da Polícia Civil do Estado. Carmem Pinheiro da Silva tinha 43 anos e era mãe de Camila, que também morreu no acidente. Os dez mortos da tragédia são:

- Júlio Borges Antunes, 68, natural de Alpinópolis (MG);
- Camila Silva Machado, 18 anos, de Paulínia (SP);
- Sebastião Teixeira da Silva, 64, de Anhumas (SP);
- Marlene Augusta Teixeira da Silva, 57, de Itaú de Minas (MG);
- Mykon Douglas de Osti, 24, de natural de Campinas (SP);
- Geovany Teixeira da Silva, 37 anos, natural de Itaú de Minas (MG);
- Geovany Gabriel Oliveira da Silva, 14 anos, natural de Alfenas (MG);
- Thiago Teixeira da Silva Nascimento, 35 anos, natural Passos (MG);
- Rodrigo Alves dos Anjos, piloto da lancha, 40 anos, nascido em Betim (MG);
- Carmem Pinheiro da Silva tinha, 43 anos, natural de Cajamar (SP);

Veja imagens do acidente:

Rocha desaba sobre barcos de turistas em Capitólio, Minas Gerais:

Jovem faria 25 anos no domingo

Quatro das vítimas da tragédia de Capitólio eram de Sumaré-SP, 119,6 km da capital, todas moradores do Jardim Nova terra, Bairro Matão. Morreram o mecânico Mykon Douglas de Osti; Camila da Silva, namorada de Mykon; Carmem Pinheiro, mãe de Camila e Geovany Teixeira da Silva, de 37 anos, namorado de Carmem.

Mateus Rodrigues dos Santos confirmou ao Terra que seu irmão, Mykon Douglas, era uma das vítimas que estava na lancha Jesus. “Meu pai Jânio Betesiel e mais três pessoas saíram de Sumaré hoje às 4h e foram para o IML de Passos-MG. E foi ele que contou essa triste notícia para nós”, disse.

O jovem de 20 anos lembrou ainda de uma infeliz coincidência:  seu irmão completaria 25 anos neste domingo. “Ele (Mykon Douglas) saiu todo animado aqui na sexta-feira, às 9h, que iria comemorar o aniversário lá e voltaria”, falou.

Mateus e a família custam a acreditar em tudo o que aconteceu e vai guardar as melhores lembranças do seu irmão. “O carisma e a alegria contagiante, o jeito risonho que ele sempre teve. Ele era um homem cheio de vida”, destacou.

Mateus ficou sabendo da tragédia em Capitólio-MG no sábado, 8, à tarde. “A gente viu pelas redes sociais o acidente, com a pedra desabando, mas não tinha a mínima ideia que envolvia ele. Minha mãe (Tânia Márcia), me ligou pra eu voltar pra casa, pois ela tentou ligar por várias vezes para o meu irmão, a namorada Camila, e aos familiares dela e ninguém atendeu. Mas por volta das 21h, depois de muitas informações desencontradas, ficamos sabendo que eles realmente estavam na lancha acidentada”, contou.

Primeira vítima a ser identificada estava em 1º passeio de lancha 

Primeira vítima da tragédia a ser identificada, Júlio Borges Antunes, de 68 anos, morava em São José da Barra, cidade que fica a 45,7 km do local do acidente, e pela primeira vez, resolveu fazer o passeio de barco no cânion.

"Sempre gostou de pescar, mas foi a primeira vez que foi dar um passeio de lancha", disse Felipe Antunes, sobrinho do aposentado, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo.

* Com informações de Fábio Shima, do Terra

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade